Home Local Carteira de motorista: Centro do Trabalhador e parceiros lançarão nova campanha
Local - 01/04/2019

Carteira de motorista: Centro do Trabalhador e parceiros lançarão nova campanha

O Centro do Trabalhador Brasileiro (CTB), em parceria com o The Welcome Project Somerville e outras entidades como o Sindicato SEIU32BJ, vai lançar nova campanha para a aprovação da Driver’s Licence (carteira de motorista) para todas as pessoas, independentemente do status imigratório. Várias reuniões vêm sendo feitas e os próximos passos já estão agendados

Esta é a segunda vez que o CTB entra em campanha para a carteira. A primeira foi em 2014, mas o projeto de lei não passou. Segundo a diretora executiva do CTB, Natalícia Tracy, agora há mais chances e boas expectativas. Atualmente existem dois tipos de carteira de motorista, uma chamada Standard (só para dirigir) e a outra chamada de Real ID (válida também para ter acesso a órgão públicos federais).

Ambas exigem que o motorista requerente responda se possui cidadania americana. “O que nós queremos é que seja retirada essa exigência, pois assim as pessoas podem ter sua carteira, mesmo se não tiverem documentos como o Social Security, por exemplo”, explica Natalícia.

De acordo com ela, quando foram iniciadas as conversas com o representante executivo do The Welcome Project Somerville, Ben Echevarria, eles descobriram que o sindicato já tinha uma iniciativa parecida. Foi então que eles começaram a discutir a possibilidade de todos se juntarem em uma coalizão para deixar a proposta ainda mais forte.

“Ainda não há uma definição exata de como vai funcionar essa coalização, mas já temos reuniões agendadas para falar sobre mais detalhes”, disse a diretora do CTB. A primeira reunião será na segunda-feira, 7, com grupos que se interessam em lutar pelo projeto, e na quinta-feira, 10, haverá outra reunião, dessa vez como senadores e deputados.

Para passar o projeto da Driver’s License é necessário apoio de pelo menos metade mais um das autoridades do Palácio do Governo, sendo pelo menos 21 senadores e 81 deputados favoráveis. Na opinião de Natalícia, da outra vez que a lei não passou havia um ambiente político mais conturbado e restritivo. Agora, três dos principais opositores da lei perderam suas cadeiras no Congresso e outros políticos com perfi l mais comunitário foram eleitos e podem apoiar a causa.

Dando sequência aos próximos passos, o projeto precisa ser apresentado até o dia 18 de janeiro. Como a proposta é retirar esta exigência de cidadania, a coalizão precisa apresentar outros pontos que serão colocados no lugar, como por exemplo o tipo de documento ou comprovação que será requisitado. “Uma boa alternativa seria pedir o income tax, pois assim prova que a pessoa mora e trabalha em Massachusetts”, opina Natalícia Tracy.

Deixe um comentário

Leia também

Religiosos são acusados de abuso de menores nos EUA

Em entrevista coletiva, o advogado Mark Pearlman disse que essa é a primeira vez em que um…