Home Local Brasileiros são acusados de fraude bancária em Rhode Island
Local - 05/01/2020

Brasileiros são acusados de fraude bancária em Rhode Island

Jehozadak Pereira Os brasileiros Rafael Pedro Dutra da Silva, 29 anos e Guilherme Mendes Altafin, 28 anos, foram acusados de fraude bancária no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, em Providence, Rhode Island, na sexta-feira, 17 de abril.

De acordo com o procurador federal Aaron L. Weisman e do agente Craig A. Maresh, Dutra da Silva e Altafin fraudaram bancos nos Estados de Rhode Island e Massachusetts, acessando ilegalmente contas bancárias em cerca de uma dúzia de agências bancárias através de cartões de crédito e débito fraudados através de dados roubados de correntistas, onde arrecadaram cerca de US$ 150 mil.

De acordo com documentos judiciais, em outubro de 2019, as autoridades policiais em Rhode Island e Massachusetts começaram a receber relatos de uma onda de atividades fraudulentas nos caixas eletrônicos dos bancos.

Em novembro de 2019, funcionários de uma agência bancária do Acushnet Federal Credit Union, em Acushnet, Massachusetts, notificaram a polícia sobre uma série de transações suspeitas em caixas eletrônicos.

Um vídeo de vigilância bancária mostrou Rafael Pedro Dutra da Silva, como o responsável por muitas das transações suspeitas. A Polícia de Acushnet instalou uma câmera de vigilância de transmissão ao vivo em caixa eletrônico e, em 24 de novembro de 2019, flagrou Dutra da Silva em várias tentativas de transações, completando algumas delas e colocando o dinheiro retirado ilegalmente do caixa eletrônico em uma mochila que ele estava carregando.

Vigiado, ele foi abordado e preso ao sair do caixa eletrônico. Rafael tem contra si 25 acusações de roubo de identidade; 26 acusações de falsificações de cartões de débito e crédito; 31 acusações de fraudes abaixo de US$ 1,2 mil em cartões de débito e crédito; onze acusações de invasões de caixas eletrônicos e uma acusação de furto.

Já Guilherme Mendes Altafin foi preso em 10 de dezembro de 2019, logo depois que um policial da Acushnet, familiarizado com a investigação do caso de Rafael Pedro Dutra da Silva, assistiu um vídeo de vigilância, onde Altafin tentava fazer várias transações ilegais, completando pelo menos uma delas, no mesmo caixa eletrônico onde da Silva havia sido preso.

Um representante do banco confirmou as transações suspeitas, incluindo dois saques de US$ 500 cada e seis transações recusadas. A prática fraudulenta é conhecida como skimming. Duas semanas antes da prisão de Altafin, um sargento da polícia de Acushnet reconheceu-o entrando na Corte Distrital de New Bedford, Massachusetts, onde pagou US$ 25 mil da fiança de Rafael Pedro Dutra da Silva. Os brasileiros estão detidos em Massachusetts.

Deixe um comentário

Leia também

Covid-19: Pfizer anuncia sucesso em testes com humanos para vacina

Uma nova vacina para Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica Pfizer em parceria com a BioN…