Home Local A importância de estimular o diálogo com os filhos
Local - Novo Normal - Saúde - 07/08/2022

A importância de estimular o diálogo com os filhos

Olá, meus caros leitores, hoje venho falar sobre diálogo um termo que tem sua origem no grego: diálogos, que significa “através da Palavra”. Podemos falar, portanto, que diálogo é o encontro entre duas ou mais pessoas através da palavra. Por isso, a ideia é que a conversação envolva duas ou mais partes que desenvolvem pontos de vista distintos com uma tentativa de compreensão recíproca. Construída por meio da linguagem, a relação entre adultos e jovens nem sempre é fácil, uma vez que envolve pontos de vista distintos e questões geracionais. E quando se trata diálogo entre pais e filhos a dificuldade aumenta.

No entanto, o diálogo com os filhos é a principal ferramenta para aproximar a família e ensinar normas sociais importantes para a formação humana dos pequenos.

Pensando nisso, o texto poderá clarificar a importância de manter uma conversação aberta em casa e como estimular o diálogo com os filhos. Em casa, o diálogo é uma das melhores maneiras para construir uma relação familiar sólida e, principalmente, saudável entre os jovens e os adultos.

Durante uma conversação, as pessoas devem se tratar com tom de voz respeitável, mas também trocar informações pessoais para se aproximar, contando histórias pessoais, desenvolvendo uma comunicação positiva, ainda que impositiva, em alguns momentos, atentando para o tom de voz e tentando se colocar no lugar do “outro” e mantendo sempre o respeito à outra figura. Muitas vezes, os pais reclamam de filhos birrentos, que parecem inflexíveis diante de situações diversas.

Na verdade, a falta de compreensão entre o adulto e o jovem pode levar ao distanciamento dos dois. Por isso, o diálogo é uma ferramenta importante no dia a dia familiar. Quer saber por que motivos essa ação, intermediada pela palavra, é importante? Para estreitar os laços com os filhos.

Não há dúvidas: o diálogo é uma das principais formas de estreitar o relacionamento entre pais e filhos, uma vez que estabelece pontos divergentes, deve tender ao consenso e à compreensão mútua.

Nesse processo, vale a pena defender uma posição e, também, tentar entender o que faz o “outro” apontar para uma perspectiva diferente.

Assim, os filhos conseguem a aproximação dos pais e vice-versa, mantendo a família unida por meio de uma técnica aberta de conversação. Igualmente, estreitar os laços com os pequenos é uma forma de fazê-los respeitar a autoridade paterna e materna, sem precisar distanciá-los e ou agir com autoritarismo. O diálogo ajuda a conquistar o respeito mútuos.

A construir a confiança familiar, na relação entre pais e filhos, é preciso estabelecer algum nível de hierarquia, como forma de aprendizagem sobre o mundo e as regras sociais, seja em casa, seja na escola, na vida. Dessa forma, estabelecer a confiança com os jovens é um desafio e tanto para os adultos, que também não podem abusar desse poder e se afastar dos pequenos.

O texto até o momento relatou sobre a importância de o diálogo ser a base da relação familiar, construindo laços, respeito e confiança mútua. No entanto, a questão que fica é como estabelecer uma conversação aberta com os filhos, sem perder o grau de autoridade necessário para ensinar normas e valores morais a eles? Que tal começar por contar as próprias experiências para os filhos.

Ainda que muitos pais não gostem de falar sobre histórias pessoais com os filhos, abrir o jogo e contar algumas experiências subjetivas ajudam a estabelecer um diálogo aberto com os jovens. Assim, você consegue construir a sua imagem de autoridade, mostrando-lhe que já passou por determinadas situações e que sabe qual é a melhor postura a se adotar diante de um problema, por exemplo. Dessa forma, você desfaz uma postura arbitrária e consegue mostrar seu lado mais humano para os filhos.

Ao contar suas histórias você estará ajudando seus filhos a contar histórias pessoais, isto porque o diálogo é uma via de mão dupla, na qual os pais devem contar histórias pessoais e, também, ajudar os filhos a desenvolver a própria narrativa. É nesse momento que os pequenos conseguem se expressar e quebrar o gelo imposto pela autoridade dos pais. Você deve deixar, então, os jovens confortáveis para falar sobre diversos temas, ainda que sejam vistos em um primeiro momento como tabus.

Dessa forma, você ganha o respeito deles e consegue desenvolver mais empatia diante de possíveis problemas enfrenta dos pelos seus filhos. A empatia é uma das bases para conquistar o diálogo aberto com os filhos, já que essa qualidade envolve não apenas o componente afetivo, como a razão e a compreensão sobre o lugar do “outro”.

Este é um bom começo para e estimular e estabelecer diálogo com seus filhos experimente!!! O seu falar seja sempre agradável e temperado com sal, para que saibam como responder a cada um.

Colossenses 4:6


Eliana Pereira Ignacio é Psicóloga, formada pela PUC –Pontifícia Universidade Católica – com ênfase em Intervenções Psicossociais e Psicoterapêuticas no Campo da Saúde e na Área Jurídica; especializada em Dependência Química pela UNIFESP Escola Paulista de Medicina em São Paulo Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas, entre outras qualificações. Mora em Massachusetts e dá aula na Dardah University.Para interagir com Eliana envie um e-mail para epignacio_vo@hotmail.com ou info@jornaldossportsusa.com

Deixe um comentário

Leia também

Olivia Newton-John morre aos 73 anos

Da Redação – Olivia Newton-John morreu aos 73 anos, nesta segunda-feira (8). A morte…