Home EUA Porteiros que ficaram observando agressão a idosa de origem asiática são demitidos

Porteiros que ficaram observando agressão a idosa de origem asiática são demitidos

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, considerou o ataque repugnante e disse que é "absolutamente inaceitável" que ninguém tenha chegado a intervir

Dois porteiros de um prédio de Nova York, nos Estados Unidos, que fecharam as portas da entrada do edifício ao ver uma mulher asiática de 65 ser agredida na calçada foram demitidos.

O vídeo gravado pela câmera interna do lobby do prédio mostram que os dois porteiros só saíram do prédio depois do fim da agressão.

Para a empresa que gerencia o prédio, os protocolos de segurança não foram seguidos.

Os dois porteiros já tinham sido suspensos, mas ainda aguardavam o resultado de uma investigação.

Alguns moradores do prédio chegaram a defender os porteiros, alegando que as imagens de vídeo dão uma imagem distorcida dos dois e que eles não acreditam que os dois desapontaram os residentes.

O vídeo mostra um homem chutando e pisoteando a idosa no dia 29 de março em uma rua de Manhattan (veja no vídeo acima).

Agressor preso
A polícia identificou o agressor como Brandon Elliot, de 38 anos, e disse que ele estava morando em um hotel que serve como abrigo para moradores de rua a poucos quarteirões do local do ataque.

O ataque foi filmado pelas câmeras de segurança e foram amplamente divulgadas pelas autoridades

Elliot foi condenado por matar a própria mãe a facadas há cerca de 20 anos e cumpria a pena em liberdade condicional desde 2019.

Dois dias depois da agressão, o suspeito foi preso e acusado de agressão criminosa e crime de ódio.

Críticas do prefeito
O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, considerou o ataque repugnante e disse que é “absolutamente inaceitável” que ninguém tenha chegado a intervir.

A vítima foi levada ao hospital com com uma fratura na bacia e diversas lesões, mas seu estado foi considerado estável e ela recebeu alta, segundo a polícia.

Testemunhas dizem que o homem proferiu ofensas racistas contra a idosa enquanto a atacava. Segundo o “The New York Times”, ela foi identificada como Vilma Kari, uma imigrante filipina. A informação de que a vítima tem origem filipina foi confirmada pelo embaixador do país nos EUA.

Kari estava indo para a igreja no momento em que foi atacada, segundo relatos dos policiais.

Agressão a asiáticos nos EUA
Esse é o mais recente caso de violência contra esta população nos Estados Unidos.

Asiáticos e descendentes que vivem ou estão no país têm sido vítimas de milhares de ataques discriminatórios desde o início da pandemia de Covid-19, há um ano.

Um centro criado para registrar incidentes de ódio, violência, assédio, discriminação e intimidação infantil contra pessoas de origem asiática, o Stop AAPI Hate, já recebeu milhares de relatos desde sua criação, em 19 de março de 2020.

Crimes de ódio cresceram 150% nas grandes cidades americana durante a pandemia, segundo um relatório do Center for the Study of Hate and Extremism.

Deixe um comentário

Leia também

No meio da missa, padre anuncia que vai pendurar a batina porque esta apaixonado por uma mulher

AFP – “Meu coração se apaixonou”: com estas palavras, o padre Riccardo C…