Home Biden Governadores republicanos apresentam plano que reduziria a imigração ilegal ao governo Biden
Biden - EUA - Imigração - 3 semanas atrás

Governadores republicanos apresentam plano que reduziria a imigração ilegal ao governo Biden

Dez governadores republicanos apresentaram uma proposta para "parar" a imigração que é um retorno às políticas de imigração do governo anterior

JSNEWS – Governadores republicanos liderados pelo governador do Texas, Greg Abbott, divulgaram na quarta – feira um plano de dez pontos que, segundo eles, reduziria  alto fluxo de imigrantes indocumentados pela fronteira mexicana.

Entre suas propostas está a imediata adoção do programa de Protocolos de Proteção ao Migrante (MPP), conhecido como “Fique no México” do governo anterior.

Este programa força os migrantes sem documentos a esperarem no México enquanto seus pedidos de asilo são processados.
Essas são ações que o atual governo pode tomar imediatamente”, afirmou. ” disse Abbott em uma entrevista coletiva no sul do Texas, na qual foi cercado por governadores republicanos e soldados da Guarda Nacional.

O grupo voltou a acusar o presidente, Joe Biden, não só de “ignorar” a crise da imigração, mas também de fomentá-la.

As propostas apresentadas pelos governadores baseiam-se nas mesmas políticas de imigração implementadas por Trump, que, em sua opinião, demonstram que podem garantir a segurança da fronteira.

Entre as controversas, estão a conclusão da construção do muro de fronteira com o México e a expulsão de migrantes ao abrigo do Título 42, uma medida sanitária ditada pelo governo Trump e que é mantida por Biden, que visa reduzir as infecções por COVID-19 na fronteira e, acima de tudo, deportar imediatamente centenas de milhares de pessoas.

A declaração de emergência do Título 42  permitiu que a Patrulha de Fronteira expulsasse quase um milhão de imigrantes indocumentados do país imediatamente (dos 1,5 milhão presos na fronteira nos últimos 11 meses).

Os Governadores disseram estar extremamente frustrados por Biden ter ignorado seus pedidos para conter o fluxo de imigração e o tráfico de drogas que eles dizem estar afetando as comunidades em todo o país.

Em 20 de setembro, o governador do Arizona, Doug Ducey , junto com outros 25 governadores de diferentes estados, solicitou uma reunião urgente com Biden para discutir a crise de imigração, mas, disseram, a Casa Branca “nem se deu ao trabalho de responder”.

Por isso, os governadores decidiram tornar público seu plano para conter a imigração, que também inclui o governo federal prestando assistência aos estados no combate ao narcotráfico, em especial o fentanil, que está ceifando a vida de milhares de americanos. “Só podemos culpar três pessoas pelo que está acontecendo na fronteira: o presidente Biden, o vice-presidente, Kamala Harris, e o secretário de Segurança Interna (DHS), Alejandro Mayorkas”, destacou Doug Ducey, governador do Arizona.

Como parte de sua proposta, os governadores também pediram a restauração dos acordos de migração firmados por Trump com o México e os países da América Central.

Como parte de sua proposta, os governadores solicitaram a deportação de todos os indocumentados condenados por um juiz e denunciaram que, de acordo com as novas diretrizes do governo Biden, o Serviço de Controle de Imigração (ICE) parou de deportar pessoas com antecedentes criminais.

Texas e Arizona na linha de frente contra os imigrantes
Devido ao grande aumento no fluxo migratório, três vezes maior do que no ano fiscal de 2020, estados como Arizona e Texas tomaram suas próprias medidas para combater o que eles descrevem como a travessia “massiva” de imigrantes indocumentados.

Ambos os estados emitiram ordens de emergência e destacaram soldados da Guarda Nacional para ajudar a Patrulha de Fronteira .

O estado do Texas deu um passo adiante e aprovou bilhões de dólares para construir barreiras na fronteira que dificultam a travessia dos migrantes e estabeleceu um programa que permite aos oficiais do Departamento de Segurança Pública do Texas (DPS) prenderem migrantes sob acusações de transferência.

Por sua vez, Brandon Judd, presidente do Sindicato da Patrulha de Fronteira, disse na mesma conferência que o fluxo migratório não vai parar enquanto o governo Biden continuar a “recompensar” as pessoas que cruzam a fronteira ilegalmente.

Ele garantiu que ninguém, nem mesmo a Patrulha de Fronteira, está preparada para caso sejam verdadeiros os rumores de que uma nova caravana de mais de 60 mil migrantes está a caminho da fronteira.

Deixe um comentário

Leia também

57 mil detidos: número de brasileiros cruzando fronteira do México para EUA bate recorde

BBC NEWS BRASIL – O número de brasileiros cruzando ilegalmente a fronteira sul dos E…