Home EUA Combatendo a violência doméstica
EUA - 06/28/2019

Combatendo a violência doméstica

Não se sujeite a nenhum tipo de abuso

Jehozadak Pereira Casos recentes de mortes de mulheres cujos relacionamentos eram com homens brasileiros, faz ligar um alerta importante que é o combate a qualquer tipo de abuso e violência doméstica, as nossas mulheres precisam saber que há entidades que ajudam a se livrar do problema, prevenindo, alertando e auxiliando as vítimas. A violência doméstica é endêmica, e é registrada em todas as regiões do estado especificamente.

A violência abrange cerca de 99% dos casos de casais heterossexuais, sendo as mulheres as maiores vítimas e se registra também casos de casais homossexuais. Os casos estão presentes em lares onde as mulheres são casadas com cidadãos americanos, com portadores de green card, ou ainda indocumentados, e neste caso existe a chantagem emocional para que a mulher não relate a violência doméstica. Há também além da violência doméstica, a violência psicológica, que não pode ser detectada e faz tanto mal quanto a violência física. Muitas mulheres não conseguem das ameaças e da pressão exercida por seus maridos ou companheiros. Os casos de violência doméstica e psicológica são mais comum do que se pensa e muitas mulheres se submetem a maus tratos caladas por medo de sofrer mais ainda, e alimentam a esperança de que os agressores mudarão os seus comportamentos no dia seguinte, quando a tendência é que a situação piore cada vez mais.

O número de mulheres e crianças principalmente na comunidade brasileira que são agredidas por maridos e pais é assustador e desconhecem que podem obter ajuda a qualquer hora e em qualquer situação. Por exemplo, se um ministro de qualquer religião que for, tomar conhecimento de um caso de violência doméstica tem a obrigação e o dever legal de relatar para as autoridades policiais do fato, sob pena de ser processado caso se omita e a situação terminar em morte.

Um dos desafios de assistentes sociais, psicólogos e autoridades é detectar agressões morais e psicológicas, pois nem sempre o agressor admite o que faz. Quando os agressores são pegos, dizem que é brincadeira ou tentam dissimular. Muitas vezes é assim que reagem os agressores morais e psicológicos.

São homens que chamam suas mulheres de incapazes, fracassadas, burras, e não se cansam de relacionar na frente dos amigos todas as – más, na sua opinião – qualidades da sua companheira. Especialistas aconselham a quem sofre qualquer tipo de violência ou coação psicológica que busque documentar e procure ajuda especializada.

No entanto, ajuda pode ser obtida a partir de uma simples ligação telefônica para o número 911, e reportar qualquer tipo de agressão física e psicológica. A obrigação e dever das autoridades é oferecer suporte, ajuda e amparo imediato, independente de status imigratório de quem sofre violência. É preciso romper o círculo vicioso da violência doméstica, denunciando o agressor ou agressora. É preciso cortar os laços e se livrar de qualquer tipo de abuso a que o agressor comete contra o abusado. As imagens utilizadas são meramente ilustrativas.

RECOMENDAÇÕES – Leve a sério todas as ameaças que ex-companheiros(as), maridos e esposas, namorados(as) fi zerem – Junte provas como mensagens de texto, e-mails e busque orientação legal para gravar ameaças telefônicas – Busque ajuda se sentir que sua integridade física e emocional estiver ameaçada – Peça às autoridades uma restraining order – Não se intimide com ameaças e tentativas de agressão; denuncie quem faz isto – Não importa a sua condição ou status imigratório; você têm direitos.

QUEM PODE AJUDAR EM CASO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Ligue imediatamente para 911 MAPS – Massachusetts Alliance of Portuguese Speaker 617.864-7600 – atendimento em português Jane Doe Inc Hotline 24 horas 1.877.785-2020 1.877.521-2601 The Center For Hope and Healing (CHH) Lowell e região Hotline – 24 horas 800.542-5212 – atendimento em português Voices Against Violence Framingham e Metrowest 508.820-0834 Hotlines 508.626-8686 e (800) 593-1125 Respond Inc 617.625-5996 Hotline disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, com profissionais treinados em Violência doméstica. O número que serve Somerville e outras cidades vizinhas é 617.623-5900.

Deixe um comentário

Leia também

Ataque a tiros em escola mata dois e deixa três feridos

P elo Twitter, o departamento de xerife de Santa Clarita, que fi ca a 30 milhas de Los Ang…