Home Biden Biden expande a lista de locais em que o ICE não poderá fazer detenções
Biden - EUA - Imigração - Local - Novo Normal - Política - 10/28/2021

Biden expande a lista de locais em que o ICE não poderá fazer detenções

Detenções em abrigos para vitimas de violência domestica, bancos de alimentos, instalações de aconselhamento e centros de resposta a desastres. Também proíbe prisões em igrejas (Locais de culto), comícios, manifestações ou desfiles são proibidos

BOSTON (JSNEWS) – Secretário do Departamento de Segurança Interna (DHS), Alejandro Mayorkas, ampliou a lista de “locais sensíveis” onde os oficiais de imigração não poderão fazer prisões através de um memorando emitido nessa quarta-feira,27.
Embora já existisse a orientação que  impedia os agentes da Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) de fazer prisões em escolas e hospitais, a nova ordem emitida por Mayorkas estende esse conceito para uma categoria mais ampla de serviços sociais orientando todas as agências do DHS a evitar prisões em abrigos para vitimas de violência domestica, bancos de alimentos, instalações de aconselhamento e centros de resposta a desastres. Também proíbe prisões em igrejas (Locais de culto), comícios, manifestações ou desfiles.

“Podemos cumprir nossa missão de fiscalização sem negar ou limitar o acesso dos indivíduos aos cuidados médicos necessários, o acesso das crianças às escolas, o acesso dos deslocados a alimentos e abrigo, o acesso das pessoas de fé aos seus locais de culto e muito mais”, escreveu Mayorkas no memorando.

Ele também enfatizou a necessidade das agências de considerar os impactos potenciais mais amplos de uma prisão.

“Se tomarmos medidas restritivas em um abrigo de emergência, é possível que não-cidadãos, incluindo crianças, hesitem em visitar o abrigo em busca alimentos, água e atendimento médico urgente ou outro atendimento humanitário”, disse Mayorkas.

O memorando está de acordo com várias ordens anteriores de Mayorkas, orientando os agentes da imigração a manterem a discrição quando realizarem ‘seu trabalho’. Em junho, Mayorkas redigiu um memorando dando aos promotores de imigração mais liberdade para retirar o que consideram casos de baixa prioridade.

O governo Biden também tem procurado, de forma mais ampla, concentrar os esforços de fiscalização da imigração no que considera ser aqueles com antecedentes criminais graves.

Mayorkas disse que a lista de áreas protegidas não é extensa, encorajando os oficiais a considerar “a importância dessas atividades para o bem-estar das pessoas e das comunidades das quais fazem parte, e o impacto que uma ação de fiscalização teria nas pessoas disposição para estar na área protegida e receber ou se envolver nos serviços ou atividades essenciais que ali ocorrem.”

Ele também busca estender as proteções existentes contra prisões em escolas a playgrounds, creches e pontos de ônibus que também estão proibidos.

Além das restrições às ações de fiscalização em locais de culto, o memorando também proíbe prisões em casamentos, funerais ou outras formas de estudo religioso.

O memorando inclui exceções para instâncias de segurança nacional ou se houver uma ameaça iminente de violência, ou quando “um local alternativo seguro não existe”.

A diretriz de quarta-feira segue outro memorando dos Mayorkas encerrando as batidas nos locais de trabalho , parte de um esforço mais amplo para focar nos empregadores que infringem a lei, ao invés de funcionários individuais.

“A implantação de operações de canteiro de obras em massa, às vezes resultando na prisão simultânea de centenas de trabalhadores, não foi focada no aspecto mais pernicioso do desafio do emprego não autorizado em nosso país: os empregadores exploradores”, escreveu Mayorkas no memorando no início deste mês.

Deixe um comentário

Leia também

Primeiros imigrantes são enviados de volta ao México na retomada do esquema “Fique no México” da era Trump

JSNEWS (Com Reuters e APNEWS) – Dois imigrantes foram devolvidos ao México pelas aut…