Home Esportes Sport Total com Alfredo Melo: A última década gloriosa
Esportes - 3 semanas atrás

Sport Total com Alfredo Melo: A última década gloriosa

Por: Alfredo Melo
info@jornaldossportsusa.com

Depois de brilhar nos anos 1960, quando conquistou o bicampeonato carioca em 61/62 e em 67/68. O bicampeonato da Taça Guanabara em 67/68, o Rio-São Paulo em 62, 64 e 66 e a Taça Brasil em 68, o Botafogo ainda teve alguns lampejos, no início dos anos 70.
Disputou com o Atlético-MG e o São Paulo, o título do Brasileirão de 71 e foi vice em 73. A partir daí foi ‘as trevas’. Administrações desastrosas que levaram o clube a vender a sede e o estádio em 1977, para pagar dívidas com o INSS, dívidas que nenhum clube pagou, e poucos anos depois já estava devendo ao INSS outra vez. A Vale do Rio Doce, compradora do estádio começou a demolição, deixando o palacete, onde era a sede, para o final.

Uma ação popular conseguiu embargar a obra antes que a sede fosse derrubada. Sem sede e sem campo, o Botafogo passou a vagar pelo Rio de Janeiro como um cigano. Campo em Marechal Hermes, campo em Niterói, campo em Inhauma.

Anos sem títulos e dívidas acumuladas. Em 88, após 20 anos, sem um mísero título, um mecenas, o banqueiro do jogo do bicho, Emil Pinheiro, em uma ‘tenebrosa transação’ com o mecenas do Bangu, o banqueiro do jogo do bicho Castor de Andrade, contratou Mauro Galvão, Marinho, Paulinho Criciúma e Cláudio Adão, em troca de alguns ‘pontos do jogo do bicho’ no Rio de Janeiro. Com esses reforços, o time foi bicampeão carioca de 89/90. Animado com o bicampeonato, a década de 1990, realmente, foi gloriosa, para o Botafogo.

Um novo mecenas surgiu, Carlos Augusto Montenegro, dono do Ibope e com ele, novas ideias e novas conquistas. Com o apoio político de dois botafoguenses ferrenhos, o prefeito do Rio Cesar Maia e o governador do estado do Rio de Janeiro, Marcelo Alencar, Montenegro, conseguiu recuperar a sede e a área do estádio, junto a Vale do Rio Doce, em troca de um edifício garagem de cinco andares, no centro do Rio e, a sede do Mourisco, onde estava o ginásio de esportes.

Em 92, o Botafogo, foi vice campeão brasileiro, em 93 conquistou a Copa Conmebol (atual Sul-Americana), em 95 conquistou o Campeonato Brasileiro, em 96 venceu a Copa Nippon, no Japão (campeão brasileiro x campeão japonês), o torneio internacional da Rússia (Alayna da Rússia, Valencia da Espanha, Auxerre da França) e a prestigiosa taça Teresa Herrera (Ajax, Juventus e La Coruña).

Em 97 conquistou o Campeonato Carioca. Em 98 conquistou o Torneio Rio x São Paulo e em 99 o vice campeonato da Copa do Brasil. Mergulhado em dívidas que giram em torno de R$ 1 bilhão, o Botafogo, com a colaboração de Montenegro e dos irmãos Moreira Sales, tenta emplacar o Botafogo S/A, com ações no mercado de capitais. A cotação atual do dólar, favorece aos investidores estrangeiros.

Além, da sede e de um moderno campo de treinamento e um shopping, onde era o antigo estádio, o Botafogo terá, em 2021, um gigantesco CT, no bairro de Jacarepaguá, fi nanciado por um empréstimo de R$ 30 milhões, dos irmãos Moreira Sales. Aliás, os irmãos, é quem administram as obras que começam em setembro, a fase de conclusão. Somente a S/A, poderá trazer de volta, glórias, como as da década de 90. A última década gloriosa, do Glorioso.

Bem, até que enfim o Alfredo Melo assume a verdade que nunca quis calar: ele é o Gatinho Cruel, que agora sai de cena para dar lugar ao seu criador. Enorme criatura no sentido literal, na bondade, no caráter e no conhecimento profundo do futebol e das coisas boas da vida, inclusive pratos deliciosos. Ah, tem também a paixão pelo Botafogo cada dia maior…

Deixe um comentário

Leia também

Primeiros imigrantes são enviados de volta ao México na retomada do esquema “Fique no México” da era Trump

JSNEWS (Com Reuters e APNEWS) – Dois imigrantes foram devolvidos ao México pelas aut…