Home Comunidade Consultora de imigração é acusada de arranjar casamentos fraudulentos
Comunidade - Imigração - 2 semanas atrás

Consultora de imigração é acusada de arranjar casamentos fraudulentos

Jehozadak Pereira

A consultora de imigração Yamira Sanchez, 47 anos, dona da Immigration Consultant and Immigration Group, sediada no sul da Flórida foi acusada por autoridades federais de ajudar homens italianos a obterem residência permanente – Green card – através de casamentos arranjados com mulheres cubanas que vivem no Sul da Flórida, conforme foi divulgado no fim de semana.

Sanchez é acusada de um caso de conspiração para cometer fraude de casamento e de cinco acusações de encorajar um estrangeiro a morar nos Estados Unidos, segundo o Gabinete do Procurador Federal do Distrito Sul da Flórida. Clientes eram atraídos por Yamira Sanchez que supostamente facilitaria a eles solicitações de imigração e outros serviços.

Junto com seus parceiros de negócios, Yamira arranjava casamentos fraudulentos entre homens italianos e cubanas que se benefi ciaram da Cuban Adjustment Act – Lei de Ajuste Cubano, que permite que tenham benefícios imigratórios acelerados para seus maridos estrangeiros, tais como a residência legal permanente imediata, na maioria dos casos segundo as autoridades federais.

Os casamentos arranjados com as mulheres cubanas custaram aos italianos milhares de dólares, cujos trâmites foram preparados, autenticados por Yamira Sanchez que protocolou os processos na Imigração, garantindo que os homens tivessem os benefícios imigratórios imediatamente.

Também foram acusados de conspiração e fraude de casamento, os italianos Gennaro di Tommaso, 32 anos; Massimillano di Napoli, 47 anos; Fernando Sivo, 25 anos; Alessio Sarno, 31 anos e Vincenzo Lopopolo, 34 anos, além das cubanas que seriam as esposas peticionários Yaneisi Osorio Rodriguez, 35 anos; Emily Perez, 30 anos; Jaileen Dominguez, 23 anos; Elizabeth Penalver, 29 anos e Loi Torriente, 29 anos.

Se condenados, podem pegar até 10 anos de prisão e multa de até US$ 250 mil. Todos os réus foram levados para uma audiência diante de um juiz federal e foram libertados sob fiança.
Caso seja condenada, Yamira Sanchez pode pegar uma pena de dez anos de prisão além de uma multa de US$ 250 mil. Todos os anos, a Imigração desmascara fraudes matrimoniais e processa criminalmente as pessoas envolvidas.

Muitas fraudes são descobertas durante as entrevistas que são feitas separadamente com o requerente e o candidato com perguntas iguais. Se o casal de fato não vive junto, se as respostas não coincidirem o que possibilitará ao oficial negar o green card. Neste caso, o candidato irá para a corte de imigração para ser removido ou deportado.

Tanto o cidadão quanto o requerente terão que provar para a Imigração que o casamento é de boa-fé e que estão de fato vivendo maritalmente, o que não era o caso dos italianos e das cubanas.

Deixe um comentário

Leia também

Bolsonaro cumprirá quarentena determinada pela Anvisa

COM R7 – O presidente Jair Bolsonaro cumprirá a norma de quarentena determinada pela…