Home Brasil Caso Henry: Empregada disse que Monique dava remédios de ansiedade para o filho
Brasil - Policial - 04/15/2021

Caso Henry: Empregada disse que Monique dava remédios de ansiedade para o filho

FSP – Leila Rosângela de Souza, empregada que trabalhava na casa de Monique Medeiros e Dr. Jairinho, deu um novo depoimento à polícia. Segundo revelado pela Globo News, Leila disse que a mãe de Henry dava remédios para ansiedade ao menino.

A empregada do casal também admitiu que já tinha visto a criança mancando e com “cara de apavorado” depois de ficar trancado com o padrasto no quarto.

Leila Rosângela relatou que Monique e Jairinho tomavam muitos remédios, mas ela não sabia o motivos, e que a mãe dava medicamentos para ansiedade para Henry três vezes ao dia, além de xarope de maracujá.

Monique teria dito à doméstica que Henry não dormia direito e ficava muito tempo acordado. Segundo a Globo News, a polícia não informou se os remédios dados ao menino eram prescritos por um médico.

Diferenças no primeiro depoimento
Na primeira vez em que foi ouvida pela polícia, Leila Rosângela havia dito que Jairinho e Henry não costumavam ficar sozinhos. Agora, ela voltou atrás na versão. Ela ainda relatou que, em 12 de fevereiro, os dois ficaram juntos no quarto por 10 minutos.

Leila Rosângela alega que não ouviu nenhum barulho, mas percebeu que a porta do closet estava trancada. Ao ser questionada porque não relatou o fato no primeiro depoimento, ela afirmou que não se lembrava.

No novo depoimento, a empregada doméstica relatou que Henry Borel chorava com frequência e, às vezes, vomitava. 

Deixe um comentário

Leia também

Bolsonaro cumprirá quarentena determinada pela Anvisa

COM R7 – O presidente Jair Bolsonaro cumprirá a norma de quarentena determinada pela…