Home EUA Vítimas da covid estão há meses em caminhões frigoríficos em NY
EUA - Internacional - Mundo - Saúde - 11/23/2020

Vítimas da covid estão há meses em caminhões frigoríficos em NY

Segundo o Gabinete do Médico Legista Chefe da cidade, muitas das pessoas não foram enterradas porque os familiares não têm dinheiro para fazer o enterro ou porque os parentes não foram localizados pelas autoridades da cidade. Veículos no Brooklyn estão recebendo as vítimas desde abril

ANSA Corpos de cerca de 650 vítimas de Covid-19 estão há meses em caminhões frigoríficos no bairro do Brooklyn, em Nova York, aguardando por um enterro, revelou neste domingo (22) uma matéria do “The Wall Street Journal”.

Segundo o Gabinete do Médico Legista Chefe da cidade, muitas das pessoas não foram enterradas porque os familiares não têm dinheiro para fazer o enterro ou porque os parentes não foram localizados pelas autoridades da cidade.

O órgão informou que os corpos serão mantidos nos caminhões até o fim da pandemia e que a cidade está em busca de um destino para os restos mortais caso eles não sejam reclamados por familiares.

As autoridades montaram o necrotério com os veículos no primeiro pico da pandemia de coronavírus Sars-CoV-2, entre o fim do mês de março e o início de abril, como forma de dar conta de todas as vítimas da doença – em número que chegou a bater 800 por dia.

A notícia surge em um momento que a cidade, assim como todo o país, vem enfrentando uma segunda onda da doença, com contágios aumentando diariamente.

Conforme dados da própria prefeitura de Nova York, há uma tendência de alta nos casos e nas hospitalizações nos último sete dias (7.783 e 518, respectivamente) e uma leve queda nos óbitos (54 em sete dias contra a média de 56). Desde o início da pandemia, em fevereiro, foram 278.956 contágios confirmados e 19.537 falecimentos.

Nos Estados Unidos, desde fevereiro, são 12.249.198 contaminações por Covid-19 e 256.798 mortes. .

Deixe um comentário

Leia também

‘Caçadores de vacina’ em Los Angeles esperam horas por sobras de imunizantes

AFP – Com sacos de dormir, moletons e cadeiras dobráveis, jovens “caçadores de…