Home Biden Visitante da Disney World paga US$ 15 mil por viagem, se recusa a ter temperatura medida e é preso
Biden - EUA - Internacional - Local - Mundo - Novo Normal - Policial - 1 semana atrás

Visitante da Disney World paga US$ 15 mil por viagem, se recusa a ter temperatura medida e é preso

Os empregados da Disney World foram empurrados, tiveram que ouvir gritos e também já foram cuspidos por pedirem aos clientes para que respeitassem as regras impostas para a prevenção da Covid-19.

JSNEWS – Kelly Sills, 47, de Baton Rouge na Louisiana, foi preso no parque temático Disney World, na Flórida, depois de recusar a ter sua temperatura medida, as informações são do site dailymail.

O incidente aconteceu no dia 13 de fevereiro quando Kelly Sills  evitou checagem de temperatura e passou direto pela triagem de temperatura recusando-se a voltar ignorou os pedidos dos seguranças do parque, e ao ser abordado por auxiliares do xerife do condado do Orange  para deixar a área pelas autoridades, ele respondeu aos gritos e ofereceu resistência ao se recusar a deixar o local.

O Gabinete do Xerife do Condado de Orange divulgou imagens das câmeras fixadas no corpo dos agentes.

De acordo com o relatório da polícia, ele teria respondido:Eu paguei US$ 15 mil (R$ 85,6 mil). Você não pode me acusar de invasão se eu paguei US$ 15 mil”, ele respondeu, já algemado.”
Quando ele era escoltado pelos seguranças, ele mudou de ideia e pediu para que sua temperatura fosse medida. “Você pode medir minha temperatura antes de me expulsar, por favor?”, ele pede.

O segurança responde: “Vão fazer isso na cadeia”.

De acordo com dados da Justiça da Flórida, ele alegou ser inocente da acusação de invasão de área privada.

Kelly Sills disse ao jornal “Washington Post” que na hora de entrar no parque, ele se confundiu e usou uma das vias de saída. Assim, ele não passou pela exame de temperatura, e nem percebeu o engano.

Segundo o jornal, ele culpa os seguranças do parque por não terem gerenciado bem o incidente e comparou os agentes de seguranças do parque a ‘mafiosos e a nazistas’.

Segundo o jornal local “Orlando Sentinel“, outros visitantes já se recusaram a seguir protocolos de saúde para evitar o coronavírus no parque. Os empregados da Disney World foram empurrados, tiveram que ouvir gritos e também já foram cuspidos por pedirem aos clientes para que respeitassem as regras impostas para a prevenção da Covid-19.

Os seguranças disseram a ele que ele seria acusado de invasão.

Deixe um comentário

Leia também

O drama por trás da história de Wilton, o menino que foi abandonado por traficantes na fronteira mexicana

JSNEWS – A família de um menino da Nicarágua encontrado sozinho na fronteira entre M…