Home Comunidade Pais podem ser acusados ​​criminalmente por de enviar filho com a Covid para a escola e desencadear um surto
Comunidade - Cultura - EUA - Local - Mundo - Novo Normal - Saúde - 12/07/2021

Pais podem ser acusados ​​criminalmente por de enviar filho com a Covid para a escola e desencadear um surto

JSNEWS – Os pais de um estudante do condado de Marin na Califórnia, podem ser acusados ​​criminalmente por enviar os filhos para a escola, por sete dias seguidos, mesmo sabendo que um deles havia testado positivo para Covid-19 o que levou outros 75 alunos da escola primaria Neil Cummins em Corte Madera, a serem foram forçados a entrarem em quarentena, e sete outros, incluindo o irmão da criança, testaram positivo para coronavírus.

(Ilustração: Desenhado pela Freepik)

Segundo relatou Brett Geithman, a superintendente do Distrito Escolar Larkspur-Corte Madera a Associated Press, a criança contraiu o vírus da Covid-19 no inicio de novembro, mas continuou a frequentar a escola e somente dez dias após é que o departamento de Saúde Pública do Condado de Marin contatou o distrito escolar para informar sobre o teste positivo do aluno.

O Dr. Matt Willis, oficial de saúde pública do condado, disse CNN que tanto a escola quanto o departamento de saúde pública do condado receberam informações incorretas dos pais, o que levou a exposição de uma pessoa contaminada por um vírus altamente contagioso de forma prolongada. Para o oficial de saúde do Condado isso não é apenas uma violação da ética básica mas também de uma violação da lei.
“A violação pode levar a uma multa ou processo criminal como contravenção. Devido à gravidade dessa violação, encaminhamos o caso ao promotor público“, disse.

“Os pais não informaram a escola sobre o teste positivo ou aos agentes de saúde saúde pública”, disse a CNN Brett Geithman a superintendente do Distrito Escolar.

A escola notificou aos pais dos alunos que foram expostos a contaminação para fazer o teste de Covid em seus filhos para naquele mesmo dia ou para que levassem as crianças para a escola onde seriam submetidos ao teste na manhã seguinte.

Depois que mais de 50 alunos e todos os funcionários foram testados, a escola encontrou um total de oito casos positivos. Três outros casos de transmissão domiciliar foram registrados como “suspeitos” de contágio decorrente da propagação ocorrido na escola.

Os alunos foram colocados em quarentena numa quarentena modificada, na qual foram autorizados a frequentar a escola, mas proibidos de atividades extracurriculares.

O período de quarentena coincidiu com a semana de Ação de Graças, o que levou a dezenas de planos cancelados.

Contatada pelo diretor da escola a família alegou que não tinha informações sobre como adotar os protocolos de isolamento em uma criança que testasse positivo para Covid-19. 

O distrito escolar emitiu uma “ação corretiva” para a família, mas não revelou o que era essa ação. O superintendente disse que a família da criança causou um “risco à segurança” para alunos, funcionários e a comunidade escolar  que poderia ter levado uma explosão de casos de Covid-19.

Deixe um comentário

Leia também

Britânico que fez reféns no Texas foi morto enquanto falava com filhos no telefone, diz irmão

FOLHAPRESS – O britânico que fez quatro reféns em uma sinagoga no Texas, no sábado (…