Home Brasil Mortes por covid-19 podem ser três vezes superiores a números oficiais
Brasil - Mundo - Novo Normal - Saúde - 03/11/2022

Mortes por covid-19 podem ser três vezes superiores a números oficiais

Estudo foi publicado hoje na revista científica Lancet

AFP – Segundo estudo publicado na quinta-feira (10), pela revista científica Lancet, o número de mortes por Covid-19, pode ser três vezes maior do que os números oficiais divulgados. Entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021, os dados oficiais indicam a ocorrência de 5,69 milhões de óbitos no mundo, mas segundo a pesquisa, mais de 18 milhões de pessoas morreram devido à doença.

“Embora o número de mortes por Covid-19 registradas entre 1º de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2021 seja de 5,94 milhões em todo o mundo, estima-se que tenham morrido 18,2 milhões de pessoas (com intervalo de incerteza de 95% entre 17,1 e 19,6) nesse período”, diz o artigo, feito em colaboração internacional entre 97 cientistas de 20 instituições.

Segundo o estudo, as taxas de mortes em excesso variaram amplamente entre regiões, embora o número de óbitos resultantes da pandemia tenha sido muito maior, particularmente no Sul da Ásia e na África Subsaariana.

“Estima-se que o excesso de mortalidade seja de 120 mortes por 100 mil habitantes no mundo e que 21 países tenham taxas de mais de 300 mortes em excesso por 100 mil habitantes”, adianta o estudo.

Em nível nacional, “os números mais altos de excesso de mortes cumulativas devido à Covid-19 foram estimados na Índia, nos Estados Unidos, na Rússia, no México, Brasil, na Indonésia e no Paquistão. Só esses sete países podem ter sido responsáveis por mais de metade das mortes em nível mundial durante esse período de 24 meses”.

As maiores taxas estimadas de mortes foram registradas na América Latina (512 por 100 mil habitantes), Europa Oriental (345), Europa Central (316), África Subsaariana do Sul (309) e América Latina Central (274). Por outro lado, os dados publicados indicam que alguns países tiveram menos mortes do que o esperado, com base nas tendências em anos anteriores. São os casos da Islândia (48 mortes a menos por 100 mil), Austrália (38 mortes) e Singapura (16).

A análise foi feita com base em dados de 191 países sobre “óbitos excedentes”, ou seja, a quantidade de mortes que teriam ocorrido entre 2020 e 2021, comparada com o número previsto. Para criar parâmetro de comparação, os cientistas estabeleceram como base os dados de mortalidade dos 11 anos anteriores à pandemia, sem contar com eventos como guerras e situações semelhantes.

Para os pesquisadores, serão necessárias mais investigações para distinguir a proporção de excesso de mortalidade causada diretamente pela infecção pelo SARS-CoV-2 e as causas de mortes em consequência indireta da pandemia.

A Covid-19 provocou pelo menos 6, 011 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo balanço da agência France Presse.

Deixe um comentário

Leia também

Elon Musk desafia acusadora abuso sexual para descrever como são suas partes íntimas

JSNEWS – Elon Musk disse que a mulher que o acusou de má conduta sexual de ser uma &…