Home Imigração MassHealth expande cuidados de longo prazo para milhares de imigrantes sem residência legal
Imigração - Local - Mundo - Novo Normal - Saúde - 10/19/2021

MassHealth expande cuidados de longo prazo para milhares de imigrantes sem residência legal

Até agora, um green card era necessário para ser elegível; caso contrário, o status de imigração impedia o acesso ao sistema de cuidados de longo prazo no MassHealth.

JSNEWS (COM WBUR. ORG) – Milhares de imigrantes poderão receber cuidados de longo prazo por meio do MassHealth, o programa estadual Medicaid, devido a uma mudança de política que entrará em vigor em 1º de novembro.

Até agora era necessário ter “green card” para ser elegível, caso contrário, o status de imigração impedia o acesso ao sistema de cuidados de longo prazo no MassHealth.
Um dos imigrantes afetados é Nora Ketter, sobre quem o WBUR noticiou em maio deste ano.
Ketter é uma imigrante liberiana de 75 anos que veio para os Estados Unidos em 1989. Nos últimos anos, ela desenvolveu demência. Ela foi internada no Hospital UMass Memorial Clinton há mais de três anos e está lá desde então.

Ketter deveria estar em uma clinica especializada, mas ela não se qualificou para esse atendimento porque ainda está esperando o ‘green card’ que solicitou há mais de dois anos. Ao obter o green card e a residência permanente legal que ele confere ao imigrante, então ela se qualificaria imediatamente para cuidados de longo prazo devido ao tempo que passou nos Estados Unidos. De acordo com as novas diretrizes do MassHealth, o imigrante não precisará espere por essa mudança.

Status de imigração

A irmã de Ketter, Georgia Dennis, cuidou dela até que as coisas ficaram difíceis devido à sua demência. Dennis diz que orou por muito tempo para que sua irmã pudesse se mudar para uma casa de repouso.

“Significa tudo para mim que ela estará em um lugar onde possa fazer terapia, onde ela pode se exercitar ou coisas que ela deveria estar fazendo”, disse Dennis. “Porque não é só na minha irmã que estou pensando. É para todas as outras pessoas na mesma situação em que ela se encontra”.

Dennis procurou a ajuda de advogados para tentar melhorar a situação de sua irmã, incluindo Andrew Cohen, da Health Law Advocates, em Boston. Cohen, junto com seus colegas, fez lobby com o MassHealth por anos para expandir a cobertura para idosos e imigrantes deficientes que recebem cobertura de saúde do programa, mas não cobertura de cuidados de longo prazo.

Estou exultante“, disse Cohen, na sexta-feira passada quando os funcionários do MassHealth anunciaram a nova política em uma reunião com seus advogados.

“Fiquei literalmente emocionado”, disse Cohen. “Comecei a chorar de alegria porque é uma mudança de política muito importante no que diz respeito à vida de pessoas como a Sra. Ketter. Isso vai realmente percorrer um longo caminho em termos de permitir que ela receba os cuidados de que precisa no lugar certo. “

Cohen e Dennis elogiaram as enfermeiras e médicos do UMass Memorial por cuidar de Ketter, e os administradores do hospital por permitirem que ela ficasse no hospital. Mas eles apontam que o local não está equipado para fornecer cuidados necessários ou outros serviços especializados.

O UMass Memorial e outros hospitais pagaram coletivamente grande parte da conta da longa estada de Ketter. Os Hospitais contribuem para um fundo comum que cobre os cuidados de quem não tem seguro ou, quando apropriado, quem tem seguro insuficiente.

O Escritório Executivo de Saúde e Serviços Humanos do estado, que supervisiona o MassHealth, não respondeu a perguntas sobre quanto custará a mudança de política ou como o estado vai pagar por ela.

Cerca de 120.000 imigrantes estão no plano que as novas diretrizes cobrirão. Esses imigrantes terão direito a seis meses de cuidados em uma instalação de enfermagem especializada ou outros ambientes, conforme necessário, a partir do atual subsídio de 100 dias. Mas se eles precisarem de cuidados de longo prazo além de seis meses e atenderem aos requisitos médicos e outros critérios, eles serão elegíveis para aderir a outros planos do MassHealth que cobrirá esses cuidados.

De acordo com Andrew Cohen, a nova política torna imigrantes com condições incapacitantes, incluindo recebedores de DACA, pessoas esperando por green cards ou imigrantes que recentemente obtiveram um, iguais aos cidadãos americanos em sua capacidade de acesso a cuidados de saúde de longo prazo em Massachusetts. Ele acredita que a dinâmica recente aqui e em todo o país aumentou a pressão sobre o MassHealth.

“Acho que houve uma maior valorização das disparidades devido à pandemia COVID-19, também devido ao amplo despertar da justiça racial”, disse Cohen. “E acho que a liderança do MassHealth percebeu que tratar os imigrantes de maneira diferente em termos de acesso a serviços e apoios de longo prazo era, em última análise, um grande problema em termos de disparidades raciais.”

Daniel McHale, vice-presidente de finanças e políticas de saúde da Associação de Saúde e Hospitais de Massachusetts, emitiu um comunicado dizendo que a organização é grata pela “ação ousada” do estado para expandir a cobertura de cuidados de longo prazo para imigrantes.

“Este importante benefício aborda desafios de longa data, garantindo que esses pacientes tenham acesso aos recursos de que precisam para fazer a transição de hospitais de cuidados agudos para outros ambientes”, diz o comunicado.

Para ver a matéria no original clic
MassHealth expands long-term care to thousands of immigrants

Deixe um comentário

Leia também

Black Friday nos EUA tem menos pessoas e promoções

REUTERS – Os caçadores de pechinchas aventuraram-se em um clima frio para comprar pr…