FUTURA PRESS – A unidade da loja Cantão, de um shopping em Brasília, pediu desculpas a Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, pelo atendimento recebido por Alves ao ser abordada por um dos vendedores do local.

“Gostaríamos de pedir desculpas pelo atendimento inadequado de um de nossos funcionários da loja localizada no Brasília Shopping no último dia 02.01.2019, reconhecemos que não houve por parte de V.Sa. qualquer tipo de agressão no interior da loja”, afirma a empresa, em nota. “Reforçamos aqui nossa constante preocupação em oferecer um atendimento respeitosos que preza pela gentileza, simpatia e educação com todos os nossos clientes. Esclarecemos ainda que o ocorrido está sendo usado como uma oportunidade para reiterar, ainda mais, nossos valores com todos os funcionários e garantir que situações como essa não voltem a acontecer”, afirma a loja.

Entenda

O vendedor em questão é Thiago Amorim, que entrou com uma representação na Procuradoria-Geral da República contra Damares por constrangimento, vias de fato e ameaça. Segundo ele, a ministra o segurou pelo pescoço e o ameaçou. Uma assessora teria até dado um tapa na mão do profissional, que tentava gravar a confusão.

Amorim teria questionado a ministra sobre sua fala que dizia que pretende “acabar com a ideologia de gênero nas escolas brasileiras”. “Eu falei ‘vem cá, que história é essa de menino ter que usar azul e menina ter que usar rosa?’. Aí ela se aproxima de mim, põe a mão em cima do meu pescoço, sabe? Como se fosse um ato de ‘escuta aqui’ E disse ‘eu vou acabar com a ideologia de gênero nas escolas brasileiras’”, explica o homem, em entrevista ao jornal O Globo.

A dona da Cantão, Carolina Suga, afirma que analisou as imagens de câmeras de segurança junto ao departamento jurídico da empresa e que não constatou nenhuma agressão. Amorim discorda. “Existe o vídeo e a Damares sabe o que fez. Existem maneiras diferentes de tocar em alguém, e a gente sabe quando é feito de maneira rude, para agredir”, acusa.

Deixe um comentário

Leia também

Suicídios de sobreviventes de tiroteios preocupam comunidades nos Estados Unidos

REUTERS – As comunidades de Parkland, na Flórida, e Newtown, em Connecticut, estão e…