Home Brasil Joice e Eduardo Bolsonaro trocam ofensas em rede social: ‘Eu enfrentei o PT, não vou ter medo de dois moleques’
Brasil - Mundo - 10/21/2019

Joice e Eduardo Bolsonaro trocam ofensas em rede social: ‘Eu enfrentei o PT, não vou ter medo de dois moleques’

ESTADO – A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) reagiu neste domingo aos ataques do colega Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Ela disse, em uma transmissão ao vivo na noite deste domingo, que nunca traiu ninguém e que foi ela a traída. Também afirmou que trabalhou na articulação para aprovar a reforma da Previdência na Câmara, ao contrário de Eduardo, que é filho do presidente Jair Bolsonaro.

Na disputa de poder dentro do partido, Joice e Eduardo estão em lados opostos e vêm trocando acusações e provocações nos últimos dias. No sábado, em transmissão ao vivo na internet, Eduardo Bolsonaro atacou Joice. Neste domingo, houve o contra-ataque.

“Eu enfrentei o PT. Não vou ter medo de dois moleques”, disse a deputada em transmissão ao vivo no YouTube, numa referência aos filhos do presidente da República. Ela poupou apenas Jair Bolsonaro: “O presidente eu respeito. Mas o Eduardo nunca contou com meu respeito, porque é um moleque”.

Por outro lado, também criticou a atuação do presidente na articulação para colocar Eduardo no cargo de líder do PSL na Câmara. A tentativa deu errado e Delegado Waldir (GO) permaneceu no posto. Joice apoiou Waldir e, por isso, deixou o cargo de líder do governo no Congresso.

“O presidente foi induzido ao erro por um grupo de pessoas, que realmente está muito mais preocupada com o fundo partidário, essas coisinhas assim que não são tão nobres. E acabou que o presidente caiu nessa baita enrascada, usou a estrutura do Palácio do Planalto para ligar para um ou outro parlamentar, chamar lá e tal e tentar fazer o Eduardo Bolsonaro líder. Seria o presente de dias das crianças”, disse Joice.

Joice disse ainda que deputados teriam sido pressionados a tentar dar um “golpe” no PSL durante a tentativa de troca de líder do partido na Câmara na última semana.

“É óbvio que muita gente foi pressionada e acabou assinando uma lista para dar um golpe no partido. O partido que é o maior partido da Câmara, e o presidente precisa desse partido. Eu não posso compactuar com gente dizendo que está ajudando o presidente, e está atrapalhando o presidente. Com gente que está armando uma bomba relógio, jogando no colo do presidente”, afirmou Joice.

Deixe um comentário

Leia também

Bolsonaro diz que gostaria de dólar abaixo de R$4, mas que não se trata apenas do cenário interno

REUTERS – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira preferir que a cota…