Home Biden Imprensa dos Estados Unidos perdeu audiência após saída de Trump
Biden - Mundo - 03/24/2021

Imprensa dos Estados Unidos perdeu audiência após saída de Trump

A queda de audiência e de leitores, uma reação à saída da Casa Branca do midiático Donald Trump, sucedido por Joe Biden que às vezes é considerado "chato"

AFP – Os meios de comunicação dos Estados Unidos estão há várias semanas apresentando queda de audiência e de leitores, uma reação à saída da Casa Branca do midiático Donald Trump, sucedido por Joe Biden que às vezes é considerado “Entediante” (boring).

A rede de notícias CNN vivencia esta queda repentina, com o desaparecimento de mais da metade de sua audiência entre janeiro e a primeira quinzena de março no horário nobre (20h30-22h), segundo dados da empresa Nielsen.

Seus concorrentes MSNBC e Fox News estão melhores, mas também mostram um declínio, apesar das linhas editoriais opostas: a primeira é anti-Trump, enquanto a segunda é a favor do ex-presidente.

O jornal The New York Times perdeu quase 20 milhões de visitantes em seu site entre janeiro e fevereiro nos Estados Unidos, e The Washington Post, quase 30 milhões, de acordo com dados da Comscore.

“Ainda existe um grande desastre que deveria manter as pessoas de frente para suas telas”, observa Adam Chiara, professor de comunicação da Universidade de Hartford em Connecticut, referindo-se à pandemia de coronavírus.

Para ele, as quedas de audiência evidenciam que “as pessoas estavam mais interessadas nas notícias sobre o presidente Trump do que no que está acontecendo hoje”.

Instalado agora na Flórida, o ex-chefe de Estado fez algumas aparições e concedeu várias entrevistas desde que deixou a Presidência. Não é mais, porém, o centro da atenção permanente dos veículos de comunicação, principalmente depois que o Twitter o suspendeu de sua plataforma.

“Não acho que seja apenas porque Donald Trump deixou o cargo”, afirma Mark Lukasiewicz, reitor da faculdade de comunicação da Universidade de Hofstra.

Para o especialista, as audiências também estão cansadas das informações relacionadas ao coronavírus e já trabalham com a perspectiva de uma saída iminente da pandemia.

Seja pelas eleições presidenciais, ou pela pandemia, acrescentou Lukasiewicz, “passamos por um período muito intenso (…) durante o qual as notícias foram essenciais para nossas vidas”.

“Hoje, esses problemas [de saúde] não desapareceram, mas as coisas começam a se acalmar”, completou.

Apesar da queda da audiência, os principais veículos de comunicação americanos estão muito melhor do que antes de Trump entrar em campanha em 2015. A CNN mais que dobrou sua audiência em relação a 2014, enquanto a MSNBC triplicou.

Mesmo não tendo mais Trump sob os holofotes e concorrendo com pequenos canais muito conservadores como OAN e Newsmax, a Fox News perdeu apenas alguns pontos percentuais de audiência desde janeiro.

Quanto aos jornais nacionais, aproveitaram esta boa maré para acelerar sua transição digital e validar seu novo modelo, baseado essencialmente nas assinaturas on-line.

Deixe um comentário

Leia também

Bolsonaro cumprirá quarentena determinada pela Anvisa

COM R7 – O presidente Jair Bolsonaro cumprirá a norma de quarentena determinada pela…