Home EUA Filha de um ex-prefeito do sul da Florida é condenada por fraude de U$300 mil contra o ‘COVID-19 relief funds’
EUA - Local - Mundo - Policial - 02/01/2022

Filha de um ex-prefeito do sul da Florida é condenada por fraude de U$300 mil contra o ‘COVID-19 relief funds’

JSNEWS – A filha de um ex-prefeito do sul da Flórida que recentemente concorreu ao Congresso foi condenada à prisão por mentir para obter US$ 300.000 do fundo de ajuda covid-19 (COVID-19 relief funds).

Damara Holness  foi condenada nessa segunda-feira a se apresentar à prisão federal ao meio-dia de 25 de abril para cumprir uma sentença de 20 meses por fraude contra o Paycheck Protection Program, um programa destinado para auxiliar as empresas manter  suas folhas de  pagamento durante a pandemia. O juiz também condenou Holness, filha do ex-prefeito do condado de Broward Dale, a cinco anos de liberdade supervisionada.

Ela se declarou culpada em novembro, um dia após a primária democrata para uma cadeira na Câmara dos EUA que seu pai acabou perdendo por cinco votos.

“A ré viu isso como uma oportunidade de enriquecer injustamente, fraudando o programa projetado para ajudar essas empresas em dificuldades”, escreveu o procurador assistente dos EUA Jeffrey Kaplan nos registros judiciais.

A advogada de Damara Holness, Sue-Ann Robinson, disse que “foi mais um ato de desespero do que ganância”. Ela disse que parte do dinheiro foi para “arranjos habitacionais” e impostos.

Dale Holness disse que sua filha “aceitou a responsabilidade pelo erro dela. Somos todos humanos. Ela reconheceu isso”.

De acordo com os registros judiciais, Damara Holness, 28, solicitou o empréstimo para sua empresa, a Holness Consulting. No pedido ela alegou que a empresa tinha uma folha de pagamento mensal média de US$ 120.000 em 2019 para seus 18 funcionários.

O negócio foi incorporado em novembro de 2018 antes de ficar inativo.

“O réu reintegrou o negócio em 22 de junho de 2020, a fim de obter o empréstimo de PPP. A empresa não tinha funcionários e praticamente não tinha renda”, escreveu o promotor em documentos judiciais. Os promotores disseram que Holness passou meses criando papeis para receber o dinheiro.

Documentos do tribunal mostraram que ela pagava 22 pessoas, incluindo um motorista de ônibus escolar e um segurança, cerca de US$ 1.300 a cada duas semanas. Uma vez que eles sacaram os cheques, os “empregados” ficaram com $300 e devolveram o resto para Holness.

Os advogados de defesa pediram ao juiz para dar-lhe uma sentença branda porque ela cooperou com os investigadores e ela tem um filho pequeno.

Os promotores pediram uma sentença entre 33 e 41 meses “para promover o respeito à lei”. Eles também notaram que Holness cometeu os crimes enquanto estava grávida e estando ela “bem ciente de que ela poderia das a luz, caso fosse, dentro de uma cadeia”.

Deixe um comentário

Leia também

Olivia Newton-John morre aos 73 anos

Da Redação – Olivia Newton-John morreu aos 73 anos, nesta segunda-feira (8). A morte…