Home Celebridades Ex-colegas da mulher acusada de empurrar ‘fatalmente’ idosa de 87 anos em NYC dizem que ela é problemática
Celebridades - EUA - Local - Mundo - Novo Normal - Policial - 03/25/2022

Ex-colegas da mulher acusada de empurrar ‘fatalmente’ idosa de 87 anos em NYC dizem que ela é problemática

JSNEWS – Lauren Pazienza, a mulher de 26 anos acusada de empurrar a professora de canto da Broaway, Barbara Maier Gustern, uma idosa de 87 anos, ocasionando sua morte foi descrita por seus ex-colegas de faculdade como “difícil” e não possuir “nenhuma empatia” com pessoa alguma e “propensa a violência”.

Arthur Aidala, o advogado que defende Lauren Pazienza, alegou ao juiz que “empurrar alguém que está na calçada” não é o mesmo que “empurrar alguém de um um penhasco” ou “empurrar alguém na frente de um trem em movimento”, ele  também acusou o escritório da promotoria de Manhattan DA Alvin Bragg de “sobrecarregar” sua cliente com essas “exageradas alegações”. A informação são dos jornais do Daily Mail, NY Post e da Fox News.

Os ex-colegas de Pazienza ela de forma negativa. “O que mais me irritou foi ver que seu advogado disse que ela é uma pessoa que esta sendo sobrecarregada com acusações e que ela é uma pessoa boa e moral. Ela não é nada disso”, disse um ex-colega ao Daily Mail. “Eu a conhecia muito bem na escola e ela era uma pessoa difícil.”

A ex-amiga acrescentou: “Ela é a criança propaganda para privilégio branco. Ela nunca enfrentou nenhuma consequência em sua vida.” A imprensa falou com dois ex-colegas sob condição de anonimato.

Pazienza fugiu para a casa de seus pais após o ataque aleatório e fez “todos os esforços para evitar a apreensão” — incluindo a exclusão de seu site de casamento e a derrubada de todas as suas mídias sociais, disse o promotor. “Quando os detetives apareceram na casa na segunda-feira, o pai dela alegou que a filha não estava lá”.

Seu advogado então entrou em contato com a polícia e Pazienza se entregou na terça-feira.

Um outro ex-colega de Pazienza disse ao Daily Mail que ela “não tem empatia” e estava propenso a falar com as pessoas de forma pejorativa, incluindo “pessoas acima do peso e com deficiências”.

Um vídeo obtido pela promotoria mostra Pazienza “zombando de pessoas surdas”. No clipe, ela é vista contorcido seu rosto e falando com uma voz distorcida..

“Ela não é uma boa pessoa. Ela tem um noivo, e ela foi para o ensino médio, e ela foi para a faculdade, mas nenhuma dessas partes de sua vida eram normais”, disse o ex-colega de classe.

Outra fonte também disse ao Daily Mail que Pazienza era “manipuladora” com seu noivo, N. Pereira.

“Ele era reservado e muito gentil e parecia irritado com ela quando o conheci e com medo dela”, disse a pessoa. “Ela era uma pessoa muito manipuladora.”

O ex-colega acrescentou: “Eu a testemunhei ela se comportar de forma imprudente. Ela se jogava na frente de carros na rua. Ela era um coringa do filme”.

O NY Post tentou visitar Pazienza na prisão na quarta-feira, mas ela se recusou a falar, e ficou desenhado algo vestido um macacão cinza com os cabelos ligeiramente desgrenhado.

Deixe um comentário

Leia também

Sport Total – De canela

Por: Alfredo Melo – info@jornaldossportsusa.com 1 Os profissionais do futebol contin…