Home China EUA revogam mais de 1.000 vistos de estudantes chineses “para impedi-los de roubar” pesquisas
China - EUA - Internacional - Mundo - 1 semana atrás

EUA revogam mais de 1.000 vistos de estudantes chineses “para impedi-los de roubar” pesquisas

chefe interino do Departamento de Segurança Interna dos EUA, Chad Wolf, disse que a China cresceu a partir do “roubo de propriedade intelectual”, do “roubo de segredos comerciais” e da “coleta de dados pessoais para obter lucro, destruindo a privacidade de norte-americanos de todas as idades”.

REUTERS – Os Estados Unidos informaram nessa 4ª feira (9.set.2020) que revogaram o visto de mais de 1.000 estudantes chineses. A medida foi tomada com base em proclamação presidencial assinada pelo presidente norte-americano, Donald Trump, em maio, para impedir entrada de chineses considerados “riscos à segurança”.

Na época, Trump afirmou que estudantes e pesquisadores chineses estavam sendo usados ​​na campanha de Pequim para roubar tecnologias e propriedade intelectual dos EUA.

O chefe interino do Departamento de Segurança Interna dos EUA, Chad Wolf, falou que a revogação dos vistos vale “para certos estudantes de graduação e pesquisadores chineses ligados à estratégia militar da China”. Justificou que o objetivo era impedi-los de “se apropriar de pesquisas confidenciais”.

Wolf acusou a China de “abusar de vistos de estudantes para explorar a academia americana”. Disse que o país asiático cresceu a partir do “roubo de propriedade intelectual”, do “roubo de segredos comerciais” e da “coleta de dados pessoais para obter lucro, destruindo a privacidade de norte-americanos de todas as idades”.

Segundo a Reuters, cerca de 360 mil cidadãos chineses frequentam escolas e universidades nos Estados Unidos. Eles gastam no país aproximadamente US$ 14 bilhões todos os anos, grande parte com mensalidades e outras taxas.

Esse é mais um capítulo na tensa relação entre os dois países. No começo da semana, a China congelou a renovação de vistos para jornalistas de veículos norte-americanos em represália à decisão equivalente do governo Trump. China e Estados Unidos também “trocaram” ordens de fechar consulados. Em julho, o Trump ordenou o fechamento do consulado da China em Houston. Em resposta, a China determinou o encerramento das atividades do consulado dos EUA em Chengdu.

Deixe um comentário

Leia também

Da festa à tragédia: sete mortos e 177 infectados pela COVID-19 em casamento no estado do Maine

AFP – Deveria ficar na lembrança como uma celebração de amor em pleno verão na pitor…