Home Biden ´Ela deixou casa penhorada com o coiote´, diz irmão de brasileira que morreu no deserto do Novo México
Biden - Imigração - Mundo - 4 semanas atrás

´Ela deixou casa penhorada com o coiote´, diz irmão de brasileira que morreu no deserto do Novo México

Segundo o xerife do condado de Luna, nos EUA, Michael Brown, os coiotes  são integrantes dos cartéis de drogas no México que estão se aproveitando das pessoas, "eles não se importam com as pessoas. Só se importam com o dinheiro”, alerta

Da Redação – A técnica de enfermagem Lenilda dos Santos, de 49 anos, deixou a casa penhorada ao coiote como garantia de pagamento para ajudá-la a entrar ilegalmente nos Estados Unidos. A informação foi revelada pelo irmão da brasileira em entrevista exclusiva ao Fantástico, da rede Globo, no domingo (26).

O corpo de Lenilda foi encontrado há dez dias no deserto por agentes de fronteira do estado do Novo México. Ela, que era de Rondônia, foi deixada para trás por amigos, depois de passar mal.

Foto montagem – Lenilda dos Santos, de 49 anos, técnica em enfermagem ao lado do destaque do site demingheadlight (Foto: Reprodução – Redes sociais)

Lenilda e o grupo estavam em uma região de muito calor. Após horas caminhando e já sem água, ela não aguentou e se descolou dos colegas, que prometeram voltar para resgatá-la.

O irmão, Leci Pereira de Oliveira, contou que, para atravessar a fronteira mexicana, Lenilda contratou um intermediário no Brasil, que fez a ponte com coiotes, criminosos que cobram pela travessia ilegal de imigrantes, no valor de US$ 25 mil.

“Ela deixou essa casa aqui, onde a gente tá fazendo a entrevista, penhorada com o coiote. Ia chegar lá, ia trabalhar, pagar o coiote, aí sim ela pegava o documento da casa dela de volta”, disse o irmão de Lenilda ao programa de TV.

Lenilda saiu de Vale do Paraíso, onde morava, para Porto Velho  de carro, acompanhada de dois amigos e uma amiga da cidade. Lá o grupo embarcou em um avião para São Paulo, de onde fizeram conexão para a Cidade do México, e então pegaram a estrada rumo o à Acescención, perto da fronteira com os Estados Unidos.

Segundo o xerife do condado de Luna, nos EUA, Michael Brown, os coiotes  são integrantes dos cartéis de drogas no México que estão se aproveitando das pessoas, “eles não se importam com as pessoas. Só se importam com o dinheiro”, alerta.

 

Deixe um comentário

Leia também

EUA tem muitos empregos, poucos candidatos e salários em alta

AFP – Conseguir trabalhadores se tornou uma tarefa difícil nos Estados Unidos, onde …