Home EUA Democratas intensificam negociações com a ‘Parlamentarian’ do senado dos USA sobre o plano de proteção aos imigrantes indocumentados
EUA - Imigração - Local - Mundo - Novo Normal - Política - 12/06/2021

Democratas intensificam negociações com a ‘Parlamentarian’ do senado dos USA sobre o plano de proteção aos imigrantes indocumentados

É esperado que os consultores da Parlamentarian verifiquem se os projetos a serem aprovados no processo de Reconciliação seguem as chamadas "Regras de Byrd" para que MacDonough possa fazer as modificações no projeto proposto pelos democratas que favorecem aos imigrantes

JSNEWS – É esperado para essa semana que a Paralemtarian  do Senado, Elizabeth MacDonough, tome uma decisão sobre o chamado plano C de proteção aos imigrantes indocumentados, que receberiam um perdão para deportação por até 10 anos. Porém, é esperado que os consultores da Parlamentarian verifiquem se os projetos a serem aprovados no processo de Reconciliação seguem as chamadas “Regras de Byrd” para que MacDonough possa fazer as modificações no projeto proposto pelos democratas que favorecem aos imigrantes, segundo a repórter Ellen Gilmer da Bloomberg.

Ela disse que os planos de imigração sob a agenda Build Back Better (BBB – Rebuild Better) passariam por mudanças após a analise do relatório de impacto fiscal do Congressional Budget Office (CBO). “As disposições sobre imigração no BBB exigirão mudanças devido a preocupações de custo na projeção do CBO”, afirmou. “Os defensores do projeto reconheceram que é possível que a Parlamentarian tome medidas para eliminar algumas disposições do Plano C, mesmo que ela aprove os principais pontos contidos no projeto.”

O líder da maioria Charles Schumer (DN.Y.)

Não está claro quais seriam essas modificações, mas é possível, segundo os próprios ativistas, que o maior risco esteja nas provisões de assistência social para imigrantes indocumentados, o que teria impacto nas finanças públicas, apesar desse impacto ser considerado mínimo.

A proposta concede uma Autorização de Trabalho por cinco anos com opção de renovação, também pretendem autorizar viagens ao exterior e a possibilidade dos indocumentados solicitarem uma carteira de habilitação do tipo REAL ID.

A CBO estimou que 6,5 milhões de pessoas seriam beneficiadas com esse projeto, mas os defensores que ajudaram a criar o plano dizem que a estimativa é de 7,1 milhões beneficiados, embora reconheçam que nem sempre todos os imigrantes elegíveis decidem se inscrever para receber benefício como foi o caso com DACA.

Ativistas alertam que apesar dos benefícios contemplados no plano, é possível que o Departamento de Segurança Interna (DHS) elabore regulamentos acerca da permissão para viajar ao exterior, além disso, é importante ressaltar que carteira de habilitação dependerá de leis estaduais locais e não de leis federais.

O líder da maioria Charles Schumer (DN.Y.) indicou reservadamente que poderia levar o projeto à discussão em 13 de dezembro. Além do plano de gastos de Biden, os legisladores enfrentam uma agenda de fim de ano lotada.

A secretária do Tesouro, Janet Yellen, deu ao Congresso até 15 de dezembro para aumentar o teto da dívida, enquanto os legisladores ainda precisam elaborar uma versão final de um amplo projeto de lei de defesa. Schumer também quer aprovar mais nomeações para cargos no governo e tentar novamente a aprovação da legislação do “Direito de Voto, que foi repetidamente bloqueada pelos republicanos.

Deixe um comentário

Leia também

Kamala é questionada sobre legitimidade das eleições de meio de mandato caso Biden não consiga aprovar a reforma eleitoral

JSNEWS – A vice-presidente Kamala Harris repetiu, nessa quinta-feira,20, os comentár…