AP – A Igreja Católica em Israel pediu que seja retirada do Museu de Haifa obras que consideram “ofensivas”, como uma que representa a crucificação do palhaço Ronald McDonald, mascote da rede de fast-food McDonald’s.

A obra, intitulada “McJesus”, é do artista finlandês Jani Leinonen, e integra a exposição “Bens Sagrados”.

“Entendemos que a exposição tem como objetivo criticar a sociedade de consumo, concordamos com essas críticas. No entanto, o uso abusivo dos fatos mais importantes da nossa religião cristã é inaceitável para muitos cristãos e não-cristãos”, declarou a Assembleia dos Ordinários Católicos da Terra Santa em comunicado.

A exibição motivou protestos na cidade contra as obras expostas que incluem uma “Barbie Virgem Maria” e seu companheiro “Ken” crucificado.

“Deploramos este comportamento para o maior símbolo do cristianismo de uma instituição que pretende servir a todos os cidadãos!”, denunciam na nota.

Os representantes católicos responsabilizaram a prefeita de Haifa, Einat Kalisch-Rotem, pela exposição e exigiram uma ação para “destacar a importância da convivência entre componentes nacionais, étnicos e religiosos da cidade”, de demografia mista com maioria de cristãos entre os árabes israelenses.

“Estamos fazendo esforços para encontrar uma solução que garanta o respeito aos símbolos religiosos”, conclui o comunicado.

Deixe um comentário

Leia também

Suicídios de sobreviventes de tiroteios preocupam comunidades nos Estados Unidos

REUTERS – As comunidades de Parkland, na Flórida, e Newtown, em Connecticut, estão e…