Home Biden Comitê de Relações Exteriores do Senado dos USA diz que política migratória do governo Biden é ‘Catástrofe humanitária’

Comitê de Relações Exteriores do Senado dos USA diz que política migratória do governo Biden é ‘Catástrofe humanitária’

JSNEWS – Um relatório do Comitê de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos destacou como as políticas do presidente Biden estão contribuindo para o agravamentos da “crise imigratória na fronteira sul” e sugeriu soluções para ajudar a conter o fluxo de migrantes ilegais.

O relatório, intitulado “Biden’s Border Crisis: Examinando políticas que incentivam a migração ilegal”, classificou o fluxo de migrantes na fronteira como uma “catástrofe humanitária para as pessoas vulneráveis envolvidas”, e observou as preocupações de segurança associadas à situação.

O número de encontros de migrantes na fronteira sul bateu um recorde em maio, chegando a 239.416, de acordo com o Serviço Alfândegas e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos.

“A migração ilegal para os Estados Unidos atingiu níveis recordes desde que o governo Biden assumiu o cargo. A fim de proteger a segurança dos EUA e a estabilidade regional,  o governo deve estabelecer controles sólidos de imigração dentro dos Estados Unidos e construir a vontade e a capacidade política no México e nos países do norte da América Central para combater o trafico ilegal de pessoas na fronteira “, disse o membro do Comitê de Relações Exteriores do Senado, James Risch, R-Idaho. “Nosso relatório oferece recomendações concretas para abordar as causas básicas da migração ilegal e para alcançar segurança em nossa fronteira sul dos EUA e na região em geral.”

O relatório traçou uma conexão entre as políticas do governo Obama e as implementadas pelo governo Biden, destacando como as políticas de Biden “incentivaram a migração ilegal e minaram a capacidade da aplicação da lei dos EUA de proteger nossas fronteiras”.

Especificamente, o relatório chamou a tentativa de Biden de acabar com o Título 42 e focar nas “causas básicas” da imigração ilegal como um dos fatores que contribuíram para a crise na fronteira.

Biden nomeou a vice-presidente Kamala Harris em 2021 para liderar os esforços de seu governo para resolver a questão da imigração ilegal, e desde então ela tem focado os esforços do governo nas “causas básicas” da migração.

“Como o presidente disse, há muitos fatores que levam [os migrantes] a deixar esses países”, disse Harris na época. “Embora estejamos claros de que as pessoas não devem vir para a fronteira agora, também entendemos que vamos fazer cumprir a lei.”

Essas políticas têm sido aproveitadas por organizações criminosas transnacionais (TCOs), afirmou o relatório, que lucram com o contrabando de drogas e humanos através da fronteira sul.

O relatório também destacou como “as questões transnacionais de crime, gestão migratória e segurança nas fronteiras” no México e na América Central contribuíram para o fluxo de imigrantes ilegais na fronteira sul.

“As desastrosas políticas de imigração e fronteira do Governo Biden, combinadas com o crescente número de migrações externas do Hemisfério Ocidental e as táticas de contrabando e tráfico de pessoas em evolução dos TCOs, têm um impacto prejudicial na segurança dos Estados Unidos”, lê-se no relatório.

O relatório pediu ao governo Biden que tomasse várias medidas para conter o fluxo de imigração ilegal através da fronteira sul, começando com o fortalecimento da segurança nas fronteiras.

“Não só os controles de imigração mais fortes protegerão nossas próprias fronteiras nacionais, mas eles sinalizarão a vontade política dos EUA de abordar a imigração ilegal para os governos da região, e sinalizarão aos TCOs e aos imigrantes ilegais que não podem entrar ilegalmente nos Estados Unidos com impunidade”, lê-se.

Os Estados Unidos também devem trabalhar com o México e a América Central para melhorar a segurança regional e a gestão migratória, afirma o relatório.

“Isso reduziria a carga sobre a aplicação da lei dos EUA na fronteira sul, ao mesmo tempo em que promoveria uma migração segura, ordenada e legal em toda a região”, lê-se.

Junto com Risch, os cossignatários do relatório incluíram Sens. John Barrasso, R-Wyo.; Rob Portman, R-Ohio; Marco Rubio, R-Fla.; Bill Hagerty, R.-Tenn. Ted Cruz, R-Texas; Todd Young, R-Ind.; e Mike Rounds, R-S.D.

Deixe um comentário

Leia também

As rotas de migração mais perigosas do mundo

BBC NEWS BRASIL – Em questão de dias, ocorreram duas tragédias mortais envolvendo pe…