Home Brasil Bolsonaro defende criação da CPI da Petrobras; STF dá 5 dias para estatal explicar política de preços
Brasil - Mundo - 1 semana atrás

Bolsonaro defende criação da CPI da Petrobras; STF dá 5 dias para estatal explicar política de preços

REUTERS – O presidente Jair Bolsonaro chamou de “traição” com o povo o novo reajuste dos combustíveis anunciado nesta sexta-feira pela Petrobras e afirmou que já conversou com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para articular a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o conselho da estatal petrolífera.

“Conversei agora há pouco, há poucos minutos, com Arthur Lira. Ele está neste momento se reunindo com líderes partidários. E a ideia nossa é propor uma CPI para investigarmos presidente da Petrobras, seus diretores e também os seus conselhos administrativos e fiscal”, disse ele, em entrevista ao Meio Dia RN.

“Nós queremos saber se há algo errado nessa conduta deles. Porque é inconcebível se conceder um reajuste com o combustível lá em cima e com os lucros exorbitantes que a Petrobras está tendo”, emendou ele. A Petrobras segue uma regra de paridade que leva em consideração os preços internacionais do petróleo e a variação do câmbio no Brasil para a definição de seus preços.

Para o presidente, a cúpula da Petrobras traiu o povo brasileiro e o lucro da estatal é uma “coisa que ninguém consegue entender”.

“Ela lucra seis vezes mais do que a média das petrolíferas do mundo. As petroleiras fora do Brasil reduziram sua margem de lucro, continuam tendo lucro, para exatamente atender à sua população no momento de crise, porque isso tudo é fruto de uma guerra longe do Brasil”, criticou.

O alto preço dos combustíveis tem sido um complicador para a campanha à reeleição de Bolsonaro, segundo uma fonte da sua campanha informal.

Mais cedo, a Petrobras anunciou reajustes de 5,18% para a gasolina e de 14,26% para o diesel, valendo a partir de sábado, mesmo sob forte protesto de Jair Bolsonaro e da classe política em meio à pressão inflacionária em ano eleitoral.

Com a mudança, a Petrobras reduz a defasagem de seu preço ante o mercado externo, mas ainda venderá os combustíveis com desconto, de 10% para o diesel e 14% para a gasolina, segundo cálculos do Credit Suisse, diante da firmeza da cotação do petróleo e do dólar frente ao real.

O presidente da Câmara, por sua vez, também fez pressão sobre a estatal e pediu a renúncia imediata do presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, pouco depois que a estatal anunciou o novo reajuste.

“O presidente da Petrobras tem que renunciar imediatamente. Não por vontade pessoal minha, mas porque não representa o acionista majoritário da empresa –o Brasil– e, pior, trabalha sistematicamente contra o povo brasileiro na pior crise do país”, disse.

EXPLICAÇÕES AO STF

Também pela manhã, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) André Mendonça –indicado para a corte por Bolsonaro– deu cinco dias de prazo para que a Petrobras explique sua política de preços dos combustíveis estabelecida nos últimos 60 meses.

A decisão veio junto com a definição de Mendonça que alíquotas de ICMS sobre combustíveis devem ser uniformes em todo o país a partir de 1º de julho.

Mendonça suspendeu os efeitos do convênio ICMS 16/2022 do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e definiu a uniformidade da alíquota do insumo, destacando uma série de medidas que devem ser observadas pelos Estados e pela Petrobras.

“Até que uma nova norma seja editada pelo Confaz a respeito do ICMS, conforme os termos da liminar, a base de cálculo do imposto para os combustíveis passa ser fixada pela média de preços praticados nos últimos 60 (sessenta) meses”, determinou Mendonça, conforme comunicado do Supremo.

Deixe um comentário

Leia também

O condenado à morte nos EUA que ganhou na Justiça direito de ser fuzilado

BBC BRASIL – A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu na quinta-feira (23/6) que u…