Home Biden Ativistas exigem igualdade de tratamento entre refugiados ucranianos e outros imigrantes pelos USA na fronteira mexicana
Biden - EUA - Imigração - Mundo - 03/15/2022

Ativistas exigem igualdade de tratamento entre refugiados ucranianos e outros imigrantes pelos USA na fronteira mexicana

JSNEWS – Nos Estados Unidos, há um “contraste” na forma como são recebidos os refugiados vindos Europa e os imigrantes vindos da américa latina, disseram ativistas na segunda-feira, ao lançarem a campanha “Liberdade para Todos” pedindo ao Congresso que disponibilize fundos para assistência jurídica aos imigrantes, independentemente de sua origem, uma vez que o serviço de Alfândega e Proteção de Fronteiras – CBP trata os solicitantes de asilo da Rússia e da Ucrânia de modo diferente de como trata os imigrantes vindos dos países latino-americanos.

Um vez que russos e ucranianos dizem que estão buscando asilo, eles podem continuar com  seus processos ao lado de seus parentes ou amigos em território americano, enquanto os centro-americanos podem sofrer a sanção da “Title 42”, uma disposição de saúde da época de Donald Trump (2017-2021) para prevenção do COVID-19, com o qual os agentes de fronteira estão autorizados a enviar imediatamente os solicitantes de asilo da américa latina para território mexicano ou mantê-los detidos por tempo indeterminado.

Na semana passada, uma mulher ucraniana e seus três filhos foram rejeitados na fronteira EUA-México sob a regra de saúde chamada Título 42, sob a qual 1,6 milhão de migrantes foram rejeitados nos últimos dois anos sob o pretexto da pandemia COVID-19. Porem o líder da maioria  no senado, o democrata Charles Schumer, chamou a atenção do público para o caso, após o qual a mulher foi autorizada a entrar no país por razões humanitárias.

A Imigração e a Alfândega (ICE) têm atualmente cerca de 20.000 migrantes indocumentados sob sua custódia. Há dois anos, tinha uma média diária de 40.000 detidos.

“É por isso que estamos lançando a campanha ‘Liberdade para Todos'”, disse Oscar Chacon, diretor executivo da coalizão Alliance Americas, em uma teleconferência. “Ninguém deve ser privado de sua liberdade porque eles buscam proteção por causa das guerras ou das condições que forçam tantas pessoas a deixar seus países.”

Anna Chen, diretora do Instituto Vera de Justiça, observou que quase 70% dos imigrantes detidos não têm representantes legais para lidar com as complexidades do sistema de imigração dos EUA. “Nossas leis federais não garantem que o governo fornecerá advogados que representam os imigrantes”, disse. “Muitos desses imigrantes são deportados porque não têm um defensor legal.”

“A campanha ‘Liberdade para Todos’ pede financiamento para que todos os migrantes tenham um advogado”, continuou Chen. “Atualmente, há mais de 1,6 milhão de casos pendentes perante os tribunais de imigração, e cerca de 800.000 dessas pessoas não advogados.”

A lei orçamentária aprovada na semana passada com o apoio de democratas e republicanos na Câmara dos Deputados aumenta o financiamento para as agências de aplicação da imigração, mas não fornece recursos para essa ajuda aos imigrantes.

A lei aumenta a alocação para a ICE em US$ 284,7 milhões, e desse aumento cerca de US$ 57 milhões vai para a divisão que lida com detenções e deportações.

Essa alocação, para desânimo daqueles que defendem os migrantes, excede em US$ 109 milhões o que a administração do presidente Joe Biden havia pedido. O orçamento destina quase US$ 1 bilhão à Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA (CBP).

Atualmente, há cerca de 200.000 imigrantes em liberdade condicional aguardando sua audiência no tribunal de imigração.

Deixe um comentário

Leia também

Simone Tebet declara apoio a Lula: “Reconheço nele compromisso com a democracia”

FSP – A ex-candidata à presidência da República Simone Tebet (MDB) declarou voto ao …