Home EUA Agência de imigração define os EUA como ‘nação de acolhida’ após era Trump
EUA - Imigração - Mundo - Novo Normal - Política - 02/10/2022

Agência de imigração define os EUA como ‘nação de acolhida’ após era Trump

Em fevereiro de 2018, Trump removeu a frase "nação de imigrantes" da declaração da agência, provocando uma enxurrada de críticas das associações de imigrantes. Seu sucessor, o democrata Joe Biden, prometeu estabelecer uma política de imigração "mais humana"  concedendo a cidadania para 11 milhões de imigrantes sem documentos

AFP – O Serviço de Cidadania e Imigração (USCIS) descreve os Estados Unidos como “uma nação de acolhida”, quatro anos depois que o ex-presidente Donald Trump eliminou a nomenclatura “país de imigrantes”, informou a agência nesta quarta-feira.

O USCIS “mantém a promessa dos Estados Unidos como uma nação de acolhida e possibilidades com igualdade, integridade e respeito a todos que que servimos”, assinala em um comunicado sobre sua nova guia interna, em que afirma ser “inclusivo e acessível”.

“Os Estados Unidos são e continuarão sendo uma nação de acolhida, que dá as boas-vindas a pessoas de todo o mundo que buscam reunificação familiar, oportunidades de emprego ou profissionais e proteção humanitária”, declara sua diretora, Ur M. Jaddou, na nota.

A agência, que administra os programas e solicitações migratórias, o que inclui a naturalização e permissões de residência, assinala que, “cada vez que concede um benefício de imigração ou naturalização, promove a oportunidade de ajudar a construir um país mais forte”.

Em fevereiro de 2018, Trump removeu a frase “nação de imigrantes” da declaração da agência, provocando uma enxurrada de críticas das associações de imigrantes. Seu sucessor, o democrata Joe Biden, prometeu estabelecer uma política de imigração “mais humana”  concedendo a cidadania para 11 milhões de imigrantes sem documentos.

Deixe um comentário

Leia também

O condenado à morte nos EUA que ganhou na Justiça direito de ser fuzilado

BBC BRASIL – A Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu na quinta-feira (23/6) que u…