LOCAL

Voltar

Governo diz que travessia de fronteira seguirá até que reforma de imigração seja aprovada

07:09AM - 11 de Maio por Js Edição

Em um documento divulgado pela Casa Branca, Trump reconhece que “tem havido recentemente um aumento signifi cativo em cruzamentos ilegais de fronteira e para piorar a situação, as lacunas (legais) continuam a impedir a deportação de muitos estrangeiros ilegais”, que é um dos principais objetivos de Trump desde a sua campanha.

“Entre abril de 2017 e abril de 2018, o número de travessias ilegais de fronteira mais que triplicou”, alerta o documento, acrescentando que abril de 2018 “foi o segundo mês consecutivo em que mais de 37.000 pessoas foram presas depois de entrar ilegalmente no país ao longo da fronteira com o México”. Enquanto a Casa Branca afi rma que o problema da fronteira foi agravado pela recente chegada de uma caravana de imigrantes, a verdade é que chegou a menos de 200 imigrantes, sendo que a maioria delas é de crianças e mulheres.

Grande parte destes indocumentados são detidos por agentes da Patrulha da Fronteira depois de atravessar a fronteira sem documentos. No entanto, o governo insiste que a chegada de estrangeiros na fronteira tornou-se um problema de segurança nacional e exige mudanças na lei para implementar um plano de imigração que, de acordo com promessas de campanha, inclua a construção de um muro ao longo da fronteira e da deportação dos 11 milhões de indocumentados.

Apesar dos alertas emitidos em quase 16 meses de governo, Trump não deportou todos os imigrantes que ele quer e não conseguiu impedi-los de continuar a entrar pela fronteira. “A eliminação de estrangeiros que cruzam nossa fronteira ilegalmente é difi cultada por falhas fl agrantes na lei atual e pelas limitações legais defendidas por ativistas pró-imigrantes”, diz o presidente. Enquanto a Casa Branca reclama do que chama de lacunas no sistema atual para implementar a dura política de imigração de Trump, a comunidade imigrante aplaude o fato de que o Congresso não tem se rendido ao presidente que quer remover os principais benefícios. Milhares de casos podem levar anos para que sejam resolvidos a contento.

O documento da Casa Branca lista a lista de difi culdades que o presidente tem em executar sua reforma de imigração: Não se pode deportar imediatamente todas as pessoas sem documentos presas na fronteira; Os juízes de imigração são os que decidem o futuro dos menores indocumentados detidos na fronteira; Muitas pessoas sem documentos apresentam casos de asilo fraudulentos; Muitas pessoas indocumentadas são libertadas e não se apresentam aos tribunais de imigração para continuar com os seus processos; Tribunais de imigração estão atrasados por causa do fluxo de imigração indocumentada; Existência das chamadas jurisdições ou cidades-santuário; Trump culpa o Congresso por “não tomar medidas reais para proteger as fronteiras e fechar lacunas no sistema de imigração”.

No mesmo documento, a Casa Branca menciona duas iniciativas enviados pelo Presidente para o Congresso, uma em outubro e outra em janeiro, e que se os planos forem aprovados, o governo estima que pode “assegurar nossa fronteira porosa e resolver muitos dos problemas-chave em nosso sistema de imigração”. O presidente Trump deixou claro que medidas devem ser tomadas e está exigindo que o Congresso conceda às autoridades os fundos necessários para garantir uma fronteira segura.

O problema, alertam organizações pró-imigrantes, grupos de direitos humanos e democratas do Congresso é que os dois planos citados pela Casa Branca não incluem melhorias para o sistema de imigração atual, mas uma longa lista de propostas para combater a imigração indocumentada e reduzir a imigração em 50% num período de 10 anos.

mais populares
edição online
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
- 21 de Maio - ESPORTES

Chegou o camisa 10 - Neymar se apresenta à Seleção na Granja Comary

Neymar já está com a seleção brasileira em Teresópolis. O craque do PSG foi o primeiro a descer de um dos helicópteros que pousaram na Granja Comary...


- 21 de Maio - INTERNACIONAL

Maduro vence eleição na Venezuela e consolida socialismo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi reeleito para mais 6 anos de mandato após as eleições deste domingo (20), que tiveram horário...


- 20 de Maio - BRASIL

Fachin anula decisão do TCU e garante pensão as filhas solteiras de servidores

Fachin entendeu que somente autoriza cortar a pensão quando a beneficiária se casa ou passa a ser servidora pública. A estimativa era de economia de...


Guia Comercial

Os melhores negócios e empresas você só encontra aqui.

SAIBA MAIS
Anuncie grátis aqui !