BRASIL

Voltar

Ex-presidente da Coreia do Sul é condenada a 24 anos de prisão por corrupção

- 06 de Abril por FOLHAPRESS

FOLHAPRESS - A ex-presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, foi condenada nesta sexta-feira (6) por um tribunal de Seul a 24 anos de prisão pelo seu envolvimento no caso de corrupção da "Rasputina", que culminou com sua cassação em janeiro de 2017.

A sentença, que foi transmitida ao vivo pela TV, considera comprovada que a ex-presidente conservadora e sua amiga Choi Soon-sil, conhecida como a "Rasputina", criaram um esquema para extorquir dinheiro de grandes empresas, como Samsung, Hyundai e Lotte.

Park, de 66 anos, foi considerada culpada por 16 das 18 acusações de abuso de poder, suborno e coerção e ainda foi multada em US$ 17 milhões. A defesa de Park deve apelar da sentença.

"O presidente abusou do poder que foi dado a ela pelos cidadãos", afirmou o juiz, que ressaltou ainda que sua sentença era necessária para se mandar uma mensagem para os próximos governantes do país. A procuradoria havia pedido 30 de prisão, de acordo com a CNN.

Park não ouviu do tribunal a leitura da sentença. A ex-presidente e seus advogados se recusaram a participar depois que a corte decidiu que a transmissão seria ao vivo - foi a primeira vez que isso aconteceu após uma lei aprovada no ano passado permitindo esse tipo de divulgação.

Apoiadores de Park se reuniram fora do tribunal para acompanhar a leitura da sentença e pedir pela liberação da ex-presidente.

Tráfico de influência

A queda em desgraça da ex-presidente começou em meados de 2016, quando foi revelado que sua melhor amiga, Choi Soon-sil, que nunca ocupou nenhum cargo oficial, aproveitou sua influência para obter milhões de dólares de grandes empresas sul-coreanas.

O escândalo levou a Assembleia Nacional a destituir a presidente em dezembro, o que acabou com a imunidade de Park e abriu caminho para uma investigação.

Depois que o Tribunal Constitucional confirmou em 10 de março o impeachment, a Procuradoria interrogou a ex-presidente e solicitou sua prisão, porque considerava Park uma cúmplice de Choi. A ex-presidente nega todas as acusações e afirma que Choi traiu sua confiança.Park é o terceiro ex-chefe de Estado da Coreia do Sul detido por um caso de corrupção. Chun Doo-Hwan e Roh Tae-Woo cumpriram penas de prisão nos anos 1990 por motivos similares. O ex-presidente Roh Moo-Hyun, eleito democraticamente, cometeu suicídio em 2009, quando ele e a família eram investigados por corrupção.

mais populares
edição online
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
- 25 de Abril - ESPORTES

Ganso ataca adolescente durante jogo de golfe no Michigan

Quem costuma achar que jogos de golfe podem ser monótonos se surpreendeu ao ver as fotos de uma partida do torneio escolar Wolf Creek Golf Course,...


- 23 de Abril - ESPORTES

Trump pondera perdão póstumo para campeão mundial de boxe Jack Johnson

O presidente norte-americano Donald Trump está a ponderar um perdão póstumo ao primeiro campeão mundial de boxe negro, mais de cem anos depois de...


- 19 de Abril - BRASIL

Gleisi apela ao 'mundo árabe' para libertar Lula

Senadora disse também que a Globo está pressionando o Judiciário brasileiro a não conceder a liberdade a Lula, apesar de ela estar prevista na...


Guia Comercial

Os melhores negócios e empresas você só encontra aqui.

SAIBA MAIS
Anuncie grátis aqui !