NOTÍCIAS

Voltar

Canadá, México e EUA admitem dificuldade na renegociação do Nafta

- 30 de Janeiro por EFE

EFE - Canadá, México e Estados Unidos afirmaram nesta segunda-feira, ao término da sexta e penúltima rodada de renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), que avanços foram registrados ao longo das conversas, mas admitiram que ainda há dificuldades a serem superadas.

A análise foi feita pelos principais líderes políticos na renegociação: a ministra de Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, o secretário de Economia do México, Ildefonso Guajardo, e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer.

Guajardo, que abriu as declarações, afirmou que a renegociação está em um “melhor momento” e que houve avanços na rodada. Mas também indicou que os trabalhos não foram fáceis, o que ficou claro quando chegou a vez de o representante americano analisar a rodada.

Lighthizer disse que a renegociação está progredindo “lentamente”, ainda que tenha havido alguns avanços em Montreal. Na sequência, fez várias críticas ao Canadá, a quem acusou de apresentar propostas que só prejudicam a economia dos EUA.

O representante americano aproveitou a oportunidade para questionar a decisão do governo canadense de apresentar uma ação na Organização Mundial de Comércio (OMC) contra os EUA pelo uso de subvenções compensatórias e medidas antidumping.

Lighthizer classificou a decisão como “sem precedentes” e que representa um “ataque” às leis comerciais dos EUA. Para ele, a ação beneficia a China e é contrária aos próprios interesses do Canadá.

Outro ponto criticado foi a proposta canadense para resolver um impasse na negociação sobre o setor automotivo. Segundo a imprensa local, o Canadá queria fossem considerados aspectos de propriedade intelectual, como componentes dos automóveis.

Apesar de a imprensa ter indicado um otimismo a americano com a proposta, Lighthizer descartou a ideia hoje, ao declarar que a modificação seria ainda pior dos que as regras já existentes.

Já Freeland evitou entrar na polêmica levantada por Lighthizer e disse que a ação apresentada pelo Canadá na OMC contra os EUA é um assunto independente da renegociação do Nafta.

A ministra também reconheceu que o Nafta é um tratado que precisa ser renovado, mas destacou que a renegociação precisa beneficiar os três países, e não só um, em uma clara referência aos EUA.

mais populares
edição online
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
- 21 de Maio - ESPORTES

Chegou o camisa 10 - Neymar se apresenta à Seleção na Granja Comary

Neymar já está com a seleção brasileira em Teresópolis. O craque do PSG foi o primeiro a descer de um dos helicópteros que pousaram na Granja Comary...


- 21 de Maio - INTERNACIONAL

Maduro vence eleição na Venezuela e consolida socialismo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi reeleito para mais 6 anos de mandato após as eleições deste domingo (20), que tiveram horário...


- 20 de Maio - BRASIL

Fachin anula decisão do TCU e garante pensão as filhas solteiras de servidores

Fachin entendeu que somente autoriza cortar a pensão quando a beneficiária se casa ou passa a ser servidora pública. A estimativa era de economia de...


Guia Comercial

Os melhores negócios e empresas você só encontra aqui.

SAIBA MAIS
Anuncie grátis aqui !