EUA

Voltar

Cristóvão Colombo corre risco de banimento por ser politicamente incorreto

- 10 de Outubro por AP

AP - O Columbus Day (ou Dia de Colombo, em celebração ao Descobrimento da América) pode estar com os dias contados nos Estados Unidos. Comemorado em países de língua espanhola e em território americano, a data lembra o grande feito de Cristóvão Colombo e é celebrada com um feriado no dia 12 de outubro. Mas os tempos são outros. Alguns estados dos EUA estão reivindicando uma mudança no calendário, ao menos no nome da data a ser festejada. Sai o colonizador Cristóvão Colombo e entram os colonizados. Em vez de Columbus Day, os americanos comemorariam o Indigenous Peoples Day (Dia dos Povos Indígenas Americanos, numa espécie de homenagem à memória das vítimas do colonialismo e para que o genocídio de povos autóctones no continente americano não seja esquecido). Em agosto passado, Los Angeles foi a primeira grande cidade dos EUA a abolir o Columbus Day e a adotar o novo nome para o feriado. Na quinta-feira, Austin seguiu o caminho que já havia sido aberto por São Francisco, Seattle e Denver.

Mas a decisão de tirar o nome do italiano Cristóvão Colombo da folhinha tem provocado polêmica nos Estados Unidos e a ira de imigrantes italianos que vivem no país. Para eles, os governos locais estão sendo insensíveis ao apagar o nome do feriado que eles têm como referência para celebrar sua herança cultural.

— Passamos por tempos difíceis neste país por mais de cem anos — disse Basil Russo, presidente da Order Italian Sons and Daughters of America (Ordem Italiana dos Filhos e Filhas da América), à AP. — O Columbus Day é o dia que escolhemos para celebrar quem somos. E temos o direito de fazê-lo, assim como eles têm o direito de comemorar quem são.

Para Cliff Matias, ativista indígena e diretor do Redhawk Native American Arts Council, a proposta não é desonrar os imigrantes italianos.

— É uma questão em torno de Cristóvão Colombo — afirmou ele, que está organizando um evento em Nova York para discutir o assunto. — Se eles querem exaltar Colombo, nós temos o direito de homenagear os que sobreviveram a ele.

A controvérsia em torno do legado de Colombo não é nova, mas ganhou fôlego depois que o debate sobre questões raciais e a remoção de monumentos em homenagem a líderes confederados tomou os EUA. No mês passado, em Nova York, onde 35 mil pessoas são esperadas numa marcha no próximo Columbus Day, na quinta-feira, vândalos pintaram de vermelho as mãos de uma estátua de Colombo e escreveram: “Sem tolerância para o ódio.”

mais populares
edição online
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
- 21 de Fevereiro - ESPORTES

Em 17º lugar, Isadora Williams obtém vaga inédita na final da patinação artística

Isadora Williams está na final da patinação artística dos Jogos Olímpicos de Pyeongchang, na Coreia do Sul. A brasileira foi a segunda atleta a se...


- 19 de Fevereiro - ESPORTES

Gandula denuncia jogador e massagista por agressão durante partida

A vítima foi espancada no estádio Morenão, em Campo Grande, ao comemorar de forma provocativa o gol da equipe adversária. O clássico, válido pela...


08:13AM - 16 de Fevereiro - ESPORTES

Futebolista Elio Firmino participa de campeonato e treinamento na Geórgia e no Arizona

O brasileiro Elio Firmino que é jogador de futebol da Academia do New England Revolution, vai disputar a MLS Generation Adidas Cup em Atlanta, Geórgia


Guia Comercial

Os melhores negócios e empresas você só encontra aqui.

SAIBA MAIS
Anuncie grátis aqui !